Dois homens autores de crimes de latrocínio, consumado e tentado, ocorridos em Cuiabá, foram presos pela Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (DERF), da Polícia Judiciária Civil, em cumprimento a mandados de prisão expedidos pela Justiça.

Carlos Alberto Arruda Justino e Thiago Brauno de Freitas tiveram as ordens judiciais de decretada, após serem identificado como autores de pelo menos, dois roubos, sendo um deles seguido de morte. Cada um teve dois mandados de prisão temporária deferidos pelos latrocínios, na forma tentada e consumada.

Carlos Alberto foi localizado, na sexta-feira (28.07), em um bar no bairro Quilombo. Thiago foi preso em uma casa no bairro Jardim União nesta terça-feira (01.08).

Leia também:  Pai encontra corpo de filho e amigo carbonizados na fronteira com a Bolívia

Um dos crimes aconteceu no dia 15 de junho, quando dois homens armados invadiram a padaria denominada “Pão de Leite”, no bairro Jardim Vitória, e renderam os funcionários. No local os suspeitos subtraíram todo dinheiro do caixa, bem como os aparelhos celulares e entre outros pertences das vítimas.

Durante o assalto, os autores trancaram os funcionários na parte dos fundos do estabelecimento, que não havia porta de acesso à rua. Ao saírem assustados, os funcionários se depararam com a dupla fugindo em um automóvel. Os bandidos efetuaram disparos de arma de fogo, no entanto, ninguém foi atingido.

Em diligências, policiais civis da DERF de Cuiabá conseguiram levantar a identificação de Carlos Alberto e Thiago, responsáveis também por um roubo seguido de morte (latrocínio) cometido em 05 de abril deste ano.

Leia também:  Barra do Garças | Empresa é investigada acusada de vender diplomas falsos

Na oportunidade, os suspeitos pularam o muro da residência do senhor Antônio Lopes e, ao notarem a presença do morador tentando fechar a porta, efetuaram disparo de arma de fogo, vindo a atingir a vítima, lamentou o delegado Eduardo Rizzoto de Carvalho.

A dupla foi reconhecida por testemunhas, bem como em imagens da rua do local dos fatos que registraram a fuga.

Em ambos os casos, a Polícia Civil representou pelos mandados de prisão temporária (30 dias) dos suspeitos. Depois de interrogados, os dois presos foram encaminhados à a Penitenciária Central do Estado (PCE), à disposição da Justiça.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.