Nos pacotes de joias apreendidas tinha uma anotação indicando R$ 501.742 - Foto: Divulgação/Ministério Público Federal
Nos pacotes de joias apreendidas tinha uma anotação indicando R$ 501.742 – Foto: Divulgação/Ministério Público Federal

Agentes que participaram da operação Rio 40 Graus, que prendeu 10 pessoas suspeitas de envolvimento em um esquema de corrupção nas obras do corredor de BRT Transcarioca e da recuperação ambiental da Bacia de Jacarepaguá, ambas realizadas durante os governos do ex-prefeito Eduardo Paes, apreenderam esmeraldas no escritório da advogada Vanuza Sampaio.

Nas fotos de um dos pacotes de joias apreendidas, é possível ver uma anotação indicando R$ 501.742.
Vanuza foi presa na manhã desta quinta-feira (3), em sua casa em Niterói, Região Metropolitana do Rio. Segundo o Ministério Público Federal (MPF), ela usava seu escritório de advocacia para forjar contratos fictícios, que eram usados para pagar propina a Laudo Aparecido Dalla Costa Ziani, que atuava junto ao Ministério das Cidades para obter a liberação dos recursos usados nas obras.

Leia também:  Vendedora é demitida por justa causa por comer marmita de colega de trabalho

O principal alvo da Rio 40 Graus é o ex-secretário municipal de Obras, Alexandre Pinto, que também foi preso nesta quinta. De acordo com o MPF, ele é suspeito de pedir 1% do valor das obras como propina – percentual idêntico era repassado a Laudo Ziani, por meio dos contratos forjados por Vanuza Sampaio. Ele, que é genro do ex-deputado federal por Pernambuco Pedro Corrêa, foi preso em Jaboatão dos Guararapes, na Região Metropolitana do Recife.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.