Imagem: necro
Foto: divulgação

Com dois discos, um EP e um CD lançados, sendo o último “Adiante”, que tem sido sucesso de críticas, a Necro, de Maceió (AL) é uma das atrações da Terceira Edição do Cerrado Fuzz Festival. Lillian Lessa (baixo, guitarra, voz), Pedro Ivo Salvador (guitarra, baixo, voz), Thiago Alef (bateria) falaram um pouco sobre sua sonoridade no último CD, projetos, a cena alagoana musical e sobre o Cerrado Fuzz.

A Necro está na estrada desde 2009 e tem influências entre o hard rock dos 70’s, a psicodelia e o rock progressivo. Tornaram-se sucesso de crítica, principalmente, após o lançamento do último CD. Os integrantes da banda também mantêm projetos paralelos e a produção é intensa.

Sobre “Adiante”, seu último CD, a banda fala que se pode dizer que a sonoridade ficou diferente, por conta da maior liberdade de arranjos, as letras em português e a gravação com mais qualidade. “Mas acreditamos que no centro de tudo ainda mantivemos a mesma identidade sonora. De todo modo, buscamos sempre coisas novas, então um disco nosso nunca será parecido com o anterior”, afirmam os integrantes.

Leia também:  Rock in Rio divulga horários das atrações

Segundo os integrantes, a Necro sempre tem alguma coisa sendo gestada, sempre surgindo idéias novas que vão sendo trabalhadas. Além disso, os integrantes estão envolvidos em outros projetos. Thiago Alef também toca na banda Barba de Gato, de blues, que lançou recentemente seu primeiro CD. Lillian Lessa participou da banda Messias Elétrico e segue com projeto solo, preparando um disco. E Pedro Salvador também tem projeto solo, tendo lançado um disco há alguns meses e ainda participa da banda Jude.

Mesmo com tantos projetos paralelos, a Necro está trabalhando em canções novas para um disco que deve sair no final deste ano ou início de 2018, além de prepararem a prensagem em vinil do CD “Adiante”.

Leia também:  Ivete Sangalo é a artista do Rock in Rio 2017 com página mais curtidas pelos brasileiros no Facebook

Sobre a cena musical alagoana, a Necro diz que vem se fortalecendo nos últimos anos, com surgimento de novas bandas e músicos dispostos a gravar e cair na estrada, seja por conta própria ou por selos e coletivos. “Apesar disso, persistem as dificuldades tradicionais do circuito rock brasileiro: desinteresse das casas, falta de grana e pouco público”, lamentam.

A Necro se diz muito empolgada em tocar no Cerrado Fuzz em Rondonópolis. “Estamos muito ansiosos, sempre uma ótima experiência tocar longe de casa, ainda mais sendo nossa primeira vez”, dizem. Eles ainda deixam um recado para quem for comparecer ao Cerrado Fuzz. “Quem for nos ver deve se preparar para uma noite de rock and roll: volume alto e sangue nos olhos”.

Leia também:  Revelação de Marília Mendonça sobre traição dá o que falar

A Terceira Edição do Cerrado Fuzz Festival acontece no dia 19 de agosto, a partir das 15h, na Chácara Mocó. Os ingressos antecipados então à venda na Micro Center, na Bruno Barbearia e na Casa Rock Bar.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.