Brinquedos - Foto: Varlei Cordova/AGORAMT
Brinquedos – Foto: Varlei Cordova/AGORAMT

Os Pais que estão planejando comprar os presentes para suas crianças já podem correr para as lojas. Neste ano o comércio pretende investir em variedades para agradar a todos os gostos. A estimativa é que as vendas durante o período movimentem o comércio e o crescimento já leva em conta os descontos relativos à inflação, na comparação com 2016.

De acordo com a mãe da Maria Paula, dona Rita Souza, ela está atenta à data e já foi até a loja, a fim de comprar presentes para os filhos, sobrinhos e netos e não pretende gastar muito. “Eu quero agradá-los, mas vou investir no presente que fique entre R$ 70,00 a R$ 150,00”.

De acordo com Rosângela Lisboa vendedora de uma loja de brinquedos da cidade entre os presentes mais prováveis estão os brinquedos e roupas, e a preferência de 75% dos consumidores é de realizar as compras nas lojas do Centro da cidade.

Leia também:  Uber realiza campanha de arrecadação de alimentos para a Santa Casa
Brinquedos para o dias das crianças - Foto: Varlei Cordova/AGORAMT
Brinquedos para o Dia das Crianças – Foto: Varlei Cordova/AGORAMT

A cautela das famílias, no momento, é reflexo de um orçamento mais comprometido com prestações anteriores e também pela alta taxa de juros, que influencia no valor dos gastos, com amortização de empréstimos, com financiamentos, e com uma inflação que agora começou a ceder na parte de alimentos, mas vinha se mantendo elevada, e um mercado de trabalho que ainda não voltou a se recuperar.

Brinquedos imaginext - Foto: Varlei Cordova/AGORAMT
Brinquedos imaginext – Foto: Varlei Cordova/AGORAMT

O pai de Davi usou de um método interessante para ensinar o filho de 4 anos. Lucas Mendes, 28 anos, aproveita a data para introduzir a temática da educação financeira às crianças. Para isso levou o filho junto para comprar o presente na semana passada. Dessa forma, o responsável pelo pequeno acredita que esteja incutindo nele a noção de valores.

Leia também:  Acidentes na BR-163 registra queda de 20% em Rondonópolis

“Meu filho fica feliz em ganhar presentes e eu o trouxe para comprar junto comigo, e quando ele vê e pede, eu explico o que podemos e o que não podemos levar, porque para mim, isso aí vem de casa. Se tu acostumar a sempre dar alguma coisa, vai ter que sempre dar essa coisa. Se disser que é só quando o papai e a mamãe podem, é só nessa ocasião”, conta.

Brinquedos Lego - Foto: Varlei Cordova/AGORAMT
Brinquedos Lego – Foto: Varlei Cordova/AGORAMT

A funcionária ainda informou que por causa da crise financeira muitos pais preferem comprar presentes mais baratos ou apenas no final do ano, a data mais próxima de também presentear as crianças.

Entre os produtos mais procurados estão bonecos e bonecas (31%), roupas e calçados (22%), aviões e carrinhos de controle remoto (9%), jogos educativos e de tabuleiro (8%), bicicletas, skate e patinetes (5%), bolas (5%) e doces (3%). Presentes mais caros, como videogames, por exemplo, serão adquiridos por apenas 2% da amostra.

Leia também:  Prefeito decreta luto oficial pela morte do pioneiro Leonese de Pinho Carvalho
Brinquedos Baby alive - Foto: Varlei Cordova/AGORAMT
Brinquedos – Foto: Varlei Cordova/AGORAMT
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.