Projeto das novas instalações Politec Criminalística IML e Identificação - Foto : Messias Filho / AGORA MT
Projeto das novas instalações Politec Criminalística IML e Identificação – Foto : Messias Filho / AGORA MT

A região Sudeste pode receber um novo complexo para a realização do trabalho da Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec). O assunto foi amplamente discutido nesta segunda-feira (9) na Câmara de Vereadores de Rondonópolis durante uma audiência pública realizada pela Assembleia Legislativa e requerida pelo deputado estadual Sebastião Machado Rezende. Inclusive houve a apresentação pública do novo prédio.

Mesa diretora da Audiência Pública sobre o projeto da nova Politec - Foto : Messias Filho / AGORA MT
Mesa de autoridades em Audiência Pública sobre o projeto da nova Politec – Foto : Messias Filho / AGORA MT

O parlamentar explicou que a necessidade de uma estrutura melhor de trabalho e centralizada para a Politec em Rondonópolis é latente. Atualmente, o órgão funciona espalhado em dois prédios na região Central e um no Sagrada Família, e o ideal seria unificar todo o trabalho em uma única sede, facilitando o acesso do cidadão aos serviços públicos como a emissão de identidade e dos servidores no trabalho interno.

A gerência de criminalística funciona na região central da cidade nas proximidades da 1ª Delegacia de Polícia, antigo Cisc, em um prédio inadequado e com poucas condições de trabalho.

Politec de Rondonópolis - Foto : Messias Filho / AGORA MT
Local onde funciona atualmente a Politec de Rondonópolis – Foto : Messias Filho / AGORA MT

A gerência de identificação está localizada também no Centro da cidade, ao lado do Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp) e a gerência de medicina legal no Sagrada Família. “Isso às vezes atrapalha, pois o servidor está no IML e precisa de um documento, que por exemplo está no Centro da cidade”, lembrou o deputado.

Durante o encontro foi apresentado com clareza o projeto arquitetônico para o complexo, que deve contar com dois pisos, para atender a demanda das três gerências. O local escolhido é um terreno que pertence ao Estado, onde já está localizado o IML.

O recurso para uma obra deste porte deve ficar na casa dos R$ 2,2 milhões. “Vamos ter que unir forças de toda a classe Política para garantir essa obra que é fundamental para a nossa cidade e região”, destacou.

Com uma estrutura, maior e mais moderna, uma gama de problemas que o setor enfrenta poderá ser amenizada ou resolvida, como o caso de emissão de carteiras de identidade, que está levando em média 90 dias. Somente neste ano foram 20 mil pedidos em Rondonópolis e região.

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.