A Associação Mato-grossense dos Municípios – AMM comemorou a publicação da Lei 13.661/18 que alterou a distribuição da Compensação Financeira pela Utilização de Recursos Hídricos (CFURH). O texto publicado no Diário Oficial da União na última quarta-feira (09) aumenta em 20% a parte destinada aos municípios. Em Mato Grosso, serão beneficiados 14 municípios onde se localizam instalações destinadas à produção de energia ou tiveram parte de seus territórios alagados pelas águas dos reservatórios.

O presidente da AMM, Neurilan Fraga, avaliou positivamente a mudança que agora é igual ao fixado pela exploração de recursos minerais. “O movimento municipalista entende que o aumento de qualquer repasse aos municípios é a forma mais eficiente de distribuir os recursos. Estamos sempre reforçando que é nos municípios que as pessoas moram e onde a demanda por serviços acontece”, ressaltou.

Leia também:  Município é notificado sobre risco de desabamento em creche

A compensação financeira é paga pelas usinas hidrelétricas pela exploração dos recursos hídricos para fins de geração de energia elétrica. A Lei 13.360/2016 instituiu o montante devido pelas concessionárias equivalente a 7% da energia gerada. Desse valor, 6,25% são distribuídos entre estados, Distrito Federal e municípios, de forma proporcional à área alagada pelas águas represadas e a alguns órgãos da administração pública da União.
Antes da alteração, a compensação financeira era dividida de forma que a União recebia 10% do bolo e os estados e municípios 45%. Na nova lei, municípios passam a ter direito a 65% dos valores, estados 25% e a União permanece com 10% do total.

Em Mato Grosso, os municípios com maior participação no rateio são Paranaíta, que deve receber R$ 2.598.724,36, e Itiquira com R$ 599.227,84.
Confira a estimativa de quanto cada município deve receber:

Leia também:  Vice-prefeita de MT morre atropelada em faixa de pedestre a caminho de votação

Alta Floresta R$ 25.898,25
Araputanga R$ 5.616,70
Aripuanã R$ 519.024,44
Barra do Bugres R$ 161.720,45
Chapada dos Guimarães R$ 239.669,38
Indiavaí R$ 121.476,63
Itiquira R$ 599.227,84
Jauru 136.843,52
Juara R$ 5.578,08
Nova Brasilândia R$ 40.340,23
Paranaíta R$ 2.598.724,36
Pontes e Lacerda R$ 101.583,06
Tangará da Serra R$ 31.251,23
Vale de São Domingos R$ 101.583,06

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.