Imagem: travesti 1
Cerca de oito homossexuais morreram em 2018 – Foto: Ilustrativa

A Secretaria Estadual de Segurança Pública (Sesp), divulgou nesta quinta-feira (17), os dados de mortes e agressões contra lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais em Mato Grosso. Em 2018, oito homossexuais morreram no estado, sendo que três dessas mortes foram decorrentes de suicídios.

Em 2017, de janeiro a dezembro, 14 mortes foram registrados e mais 114 casos de violência. Em 2016, no mesmo período, foram nove. Os dados são do Grupo Estadual de Combate ao Crime de Homofobia (GECCH) da Sesp, neste caso o grupo também é responsável por reunir e encaminhar o andamento das denúncias dessa natureza.

A Polícia Civil também registrou de janeiro a abril deste ano, cerca de 33 outras ocorrências de homofobia. Destas, oito delas resultaram em mortes.

Leia também:  Municípios terão policiamento reforçado em dias de jogos do Brasil

Nesta quinta-feira (17) é celebrado o Dia Internacional de Combate à Homofobia, quando são realizados atos em todo o mundo para combater a violência contra pessoas por identidade de gênero e/ou orientação sexual. Foi nesta data, em 1990, que a Organização Mundial de Saúde (OMS) retirou o termo “homossexualismo” da lista de doenças e problemas de saúde.

Ainda de acordo com a GECCH, da Sesp, em relação ao ano de 2016, o número de homicídios de pessoas do grupo LGBT aumentou 50% em todo o estado.

Caso em Rondonópolis

Ele teria xingado a vítima e outras travestis na rua. Tabata revidou as agressões verbais e o homem foi até a casa dele, pegou uma arma de fogo e voltou ao local da discussão para cometer o crime. Valdinei foi encontrado em um barraco de madeira no bairro Pedra 90.

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.