Instituto Municipal de Previdência dos Servidores de Rondonópolis (IMPRO) é um dos órgãos municipais mais fiscalizados da cidade. A autarquia responsável pela gestão e pagamento de aposentados e pensionistas presta contas para a Prefeitura de Rondonópolis, Câmara de Vereadores, Ministério Público Estadual, Tribunal de Contas, Receita Federal e Ministério da Previdência Social.

O IMPRO também passou por várias auditorias ao longo dos últimos 18 meses. Duas foram realizadas para aditar a movimentação dos anos 2012, 2013, 2014, 2015. O trabalho foi realizado por órgãos distintos.

Imagem: roberto-carlos-correa-de-carvalho
Roberto Carlos Correa de Carvalho – Foto: assessoria

A primeira auditoria foi oficializada pelo Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso, que requisitou documentos de fundos de investimentos, documentos para analisar questões afetas à gestão, estrutura institucional, documentos referentes a investimentos e toda a parte administrativa do IMPRO.

 

Leia também:  Bairros de Rondonópolis devem ficar sem água

Em 2015, a Coordenação Geral de Auditoria Atuária, Contabilidade e Investimentos do Ministério da Previdência Social, nomeou o Auditor-Fiscal da Receita Federal Wanderley Bergamim de Oliveira para auditoria presencial completa de qualquer tipo documento oficial movimentado nos anos de 2012 a 2015. A auditoria requereu junto ao IMPRO extratos bancários de 2012 a 2015, regimento interno do IMPRO, atestado de credenciamento, CPA10 do membro do Comitê de Investimento, atestado de compatibilidade das aplicações dos investimentos de longo prazo, portaria de nomeação dos atuais gestores, contrato da empresa prestadora de serviço de consultoria, politica de investimento 2012 a 2015, acompanhado de resoluções e ata de aprovação do Conselho Curador, relatórios trimestrais dos exercícios de 2012 a 2014, primeiro e segundo trimestres de 2015. Todos os fundos de aplicação do Instituto foram auditados.

 

Leia também:  Acidente frontal entre carretas deixa mortos carbonizados

O diretor executivo do IMPRO Roberto Carlos Correa de Carvalho lembra que nos anos seguintes, as auditorias continuaram. “A fiscalização em cima de órgão de regime de previdência é muito rígida. Além dessas até 2015 que foram bem completas, passamos constantemente por processos de auditorias. No fim de 2016 o Tribunal de Contas de Mato Grosso pediu vários documentos em dois ofícios distintos. Foram duas auditorias em menos de 30 dias. É bem provável que neste ano acontece outra”, explica.

 

Saúde financeira

 

Atualmente, o IMPRO é classificado como um dos Regimes Próprios de Previdência Social em melhor situação de financeira de Mato Grosso. Em pouco mais de dois anos, o patrimônio líquido do Instituto saltou de R$ 119 milhões para mais de R$ 215 milhões. O aumento é superior a 80%. O montante é suficiente para garantir os pagamentos de benefícios até 2037. “Em menos de três anos de cada cem reais do servidor, conseguimos aumentar oitenta reais a mais na poupança do funcionário municipal e pagar salários, benefícios e aposentadorias rigorosamente em dia”, completa Roberto.

 

Leia também:  Mulher é detida ao furtar kit de prestobarba em supermercado

Meta Atuarial


O IMPRO conseguiu bater e superar por dois anos consecutivos a meta atuarial (rentabilidade mínima necessária das aplicações financeiras de um plano de previdência). O cálculo é feito através da soma do IPCA + 6%.

Em 2016 a meta atuarial foi de 12,67% e o resultado alcançado foi de 14,03%. Já em 2017, a meta atuarial foi fixada em 9,12%, ganho real ultrapassou 11,32%.

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.