Estamos acostumados a falar de alimentação saudável, dieta balanceada e exercícios físicos para humanos, mas você sabia que também são necessários todos esses cuidados com os pets?

Ingredientes da alimentação, cuidados preventivos e dicas são parte da série especial Comida de Pet, que o blog Pet & Cia preparou. Confira tudo ao longo dos próximos dias.

Sobrepeso
A falta de atividade física e a castração também podem influenciar o aumento de peso no bicho de estimação.

Cuidado! Sobrepeso e obesidade no animal podem estar relacionados a problemas cardíacos, respiratórios, hepáticos, ósseos, articulares, musculares e reprodutivos.
Segundo Fabiana Vinhas, médica veterinária que atua na área de Nutrologia, obesidade tem sido caso recorrente nas clínicas. “Uma das principais causas é a utilização de alimentos inadequados ou mesmo a quantidade acima da indicada para cada pet. Isso se deve muito à questão dos tutores não seguirem as orientações do veterinário”, explica.

A especialista indica duas formas de alimentação para os animais de estimação: por meio da ração balanceada ou pela dieta natural. “De qualquer forma, ambos os tipos de opções precisam de um acompanhamento. A ração vêm balanceada, mas se ela não for seguida da forma correta (a quantidade indicada do pet, observando a necessidade calórica dele, o nível de atividade metabólica, dentre outros fatores) você dá uma quantidade maior. Esse animal vai ganhar peso”, esclarece.

Com relação à alimentação natural, também é preciso ter acompanhamento de um profissional, com dieta prescrita “de acordo com as características específicas do pet”, conforme alerta a veterinária.

Qualidade de vida
Além de regrar a alimentação, é providencial a atividade física para perder o peso excedente.

Os exercícios ainda trazem entretenimento e diversão para pet e tutor. É o que comenta Patrícia Feitosa, tutora de Viola, cadela da raça pug.

“Viola é uma jogadora de futebol nata (joga tanto na defesa como no ataque). Diariamente havia e ainda há partidas de futebol (dribles) e o arremesso de bolinha para ela buscar. E umas três vezes na semana caminhadas nas duas pracinhas em frente à nossa casa”, pontua.

A médica veterinária Jéssica Sousa Gonçalves dá algumas sugestões de atividades físicas para o pet.

“Para cães, eu indico caminhadas de 30 a 40 minutos, pelo menos duas vezes ao dia. Mas, de início, nada de corridas ou atividades longas para animais que são sedentários. Então, comece com caminhadas e, se o animal estiver confortável, depois introduza corridas. Senão, brincar em casa com bolinhas, aquelas de jogar e pegar. Para gatos, essas brincadeirinhas com pena, ratinho, bolinha, tudo dá um estímulo para eles se movimentarem”, receita Jéssica.

A indicação de intensidade da atividade física, todavia, deve ser recomendada por um profissional veterinário. Ele vai avaliar as necessidades e limitações do pet.

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.