Nigéria venceu a Islândia de 2 a 0 - AFP
Nigéria venceu a Islândia de 2 a 0 – AFP

Os golaços de Musa na vitória de 2 a 0 da Nigéria sobre a Islândia, neste terça-feira, na Arena Volgogrado, romperam as fronteiras da Rússia. Se no país africano o clima foi de festa pelo resultado que o deixou a um empate da vaga no Grupo D, o sentimento foi de alívio em toda a Argentina, que ganhou uma sobrevida para disputar a classificação contra a própria Nigéria, terça-feira, em São Petersburgo. Com 100% de aproveitamento, a Croácia enfrenta no mesmo dia a Islândia, também com chances, em Rostov.

O empate com a bicampeão mundial Argentina em sua estreia em Copas do Mundo, embalou a confiança da Islândia para o confronto com a Nigéria, sob desconfiança após a má atuação na derrota para a Croácia. A temperatura de 32 graus em Volgodrado fez bem ao ‘Vikings’. Logo no início do jogo, Sigurdsson deu trabalho ao goleiro Uzoho. Primeiro em cobrança de falta, e depois numa finalização da entrada da área.

Seleção com menor média de idade da Copa – pouco mais de 24 anos -, a Nigéria demorou a se ambientar na Rússia. Com a experiência de uma década de Chelsea, Obi Mikel, de 31 anos, e atualmente no Tianjin Teda, da China, assumiu o papel de liderar a garotada. Após superar o bombardeio aéreo dos gigantes europeus, os africanos resgatou as origens de seu futebol veloz e alegre para mudar o destino do jogo no segundo tempo.

mprestado pelo Leicester, da Inglaterra, ao CSKA, da Rússia, Musa fez as honras da casa. Do contra-ataque puxado por Moses, o atacante desmontou a defesa com o belo domínio antes de acertar uma bomba indefensável para o goleiro Halldorsson, aos três minutos. Mais solta, leve e incisiva, as Superáguias voltaram a assustar no chute de longe de Ndidi e depois na bola no travessão no chute de Musa.

O segundo gol parecia questão de tempo. E Musa não decepcionou quem acompanhou o jogo na Rússia, na Nigéria e na lotada Praça San Martin, em Buenos Aires. Aos 29 minutos, ele recebeu pela direita, driblou o zagueiro Árnason Saevarsson e o goleiro Halldorsson para aumentar a vantagem: 2 a 0.

Com o auxílio do árbitro de vídeo, Matt Conger confirmou o pênalti de Ebuehi sobre Finnbogason. Na cobrança, Sigurdsson isolou qualquer chance de reação da Islândia, que agora precisa vencer a Croácia e torcer para pela vitória da Argentina contra a Nigéria pela mesma diferença de gols de sua vitória.

A seleção africana joga pela vitória simples contra Messi e companhia, ou até mesmo pelo empate, caso a Islândia não vença a a já classificada Croácia. A precisa vencer na terça-feira e torcer pelo tropeço dos islandeses.

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.