A fim de sensibilizar a população para a luta contra o tráfico de pessoas e seu impacto na sociedade o Comitê Estadual de Prevenção e Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas (Cetrap) lança no dia 19 de julho a campanha ‘Coração Azul’. O evento será às 8h30, no auditório da seccional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), localizada no Centro Politico Administrativo, em Cuiabá.

A campanha é uma iniciativa do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (Unodoc/ ONU) e foi aderida pelo Ministério da Justiça em 2013. Desde então, ocorre no mês de julho, em todo o país, a Semana Nacional de Mobilização para o Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas.

Em Mato Grosso, os trabalhos de mobilização e conscientização em prol do tema é desenvolvido pelo Cetrap em parceria com organizações governamentais e não governamentais. A atividade é desenvolvida em mais de dez países e tem em Mato Grosso um dos estados mais atuantes no enfrentamento ao tráfico de pessoas.

Leia também:  Global apresenta o prêmio da 2ª edição do 'GW 100 Awards' nesta sexta-feira (01)

O evento de lançamento da campanha tem como parceiros a Associação de Desenvolvimento Social dos Municípios e a Comissão da Infância e Juventude da OAB.

Coração Azul

A campanha Coração Azul busca encorajar a participação em massa e servir de inspiração para medidas que ajudem a acabar com o tráfico de pessoas. O símbolo representa a tristeza das vítimas do tráfico de pessoas e alerta para a insensibilidade daqueles que compram e vendem outros seres humanos. O uso da cor azul das Nações Unidas também demonstra o compromisso da entidade com a luta contra esse crime que atenta contra a dignidade humana.

Sobre o crime

O comércio de seres humanos é a terceira modalidade de tráfico mais rentável do planeta, ficando atrás apenas do tráfico de armas e o de drogas. Com objetivo de combater esta modalidade foi elaborado em 2002 o Protocolo de Palermo, instrumento legal internacional que trata do tráfico de pessoas, em especial de mulheres e crianças. O documento entrou em vigor em 2003 e foi ratificado pelo Brasil por meio do Decreto nº 5.017, de 12.03.2004, que promulgou esse Protocolo.

Leia também:  Após ir em UPA 5 vezes e ter diagnóstico de virose, professora morre com pneumonia em MT

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.