O anúncio feito pelo Ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun (MDB), da liberação do governo federal de R$ 100 milhões para o término da construção do novo pronto-socorro de Cuiabá, tem movimentado as eleições deste ano ao governo. Tudo porque as articulações junto ao governo Michel Temer (MDB), foram conduzidas pelo prefeito da capital, Emanoel Pinheiro (MDB), pelo ministro da agricultura, Blairo Maggi (PP) e pelo senador e candidato ao governo de Mato Grosso, Wellington Fagundes (PR).

Enciumado e com medo da repercussão que o anúncio da liberação do dinheiro, que diga-se de passagem nada tem a ver com a emenda de bancada de R$ 82 milhões, um deputado federal, anda espalhando aos quatro ventos, que fez parte da negociação junto com restante da bancada.

Leia também:  Irmão de Ciro Gomes bate boca em evento de Haddad e diz que PT vai perder feio

O deputado em questão será uma eminência parda no futuro governo Mauro Mendes, caso ele seja eleito e por isso, quer ter uma ‘beiradinha na repercussão e na conclusão das obras.

EM TEMPO

O deputado da beiradinha podia aproveitar a campanha eleitoral e cobrar a conclusão das obras do aeroporto Marechal Rondon, dos Centros de Treinamento Oficial para a Copa do Mundo de 2014, um em Cuiabá e outro em Várzea Grande, de cinco escolas técnicas, da Zona de Processamento e Exportação (ZPE) de Cáceres e da urbanização do Córrego 8 de Abril em Cuiabá. Todas as obras têm alguma coisa de familiar e com certeza devem ter recebido “apoio” do deputado da beiradinha.

Leia também:  Ação contra Selma Arruda correrá em sigilo

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.