Imagem: Obra Hospital Júlio Muller
Obra Hospital Júlio Müller paralisada há anos

Apontadas em todo o país como a maior fonte de desperdício de dinheiro público e com os maiores indicies de corrupção, as obras paralisadas foram alvo do programa eleitoral do candidato ao Governo, o senador Wellington Fagundes (PR).

Fagundes apresentou no horário eleitoral gratuito de rádio e TV as obras paralisadas em Mato Grosso e em Cuiabá, as reportagens foram os destaques do programa na última sexta-feira (21). O programa também mostrou que a falta de planejamento dos governantes tem causado muitos sacrifícios à população, especialmente os mais carentes.

“Os impostos que as pessoas pagam precisam ser bem aplicados” – afirmou o candidato republicano. De acordo com o programa e segundo dados do Tribunal de Contas do Estado, 421 obras públicas estão paralisadas em Mato Grosso. Em Cuiabá, o empresário candidato e ex-prefeito Mauro Mendes (DEM), deixou mais de 30 obras paralisadas, entre as quais, sete unidades básicas de atendimento à saúde nos bairros periféricos.

Leia também:  Caifás pede para Barrabás fazer uma revolta contra Pilatos

Em frente ao ‘esqueleto’ do novo Hospital Universitário Júlio Müller, obra inacabada com dinheiro na conta, Fagundes lamentou a situação e criticou os que se dizem ‘bom gestor’:  “Não adianta a gente lutar por recursos em Brasília se o trabalho aqui não acontece. Isso é um pecado. Os impostos que as pessoas pagam com tanta dificuldade precisam ser bem aplicados. Por isso que eu quero ser governador” – disse Wellington.

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.