Imagem: Pedro Taques  em debate
Foto: assessoria

Em debate na TV Mais canal 17.1, neste domingo (16.09), o governador e candidato à reeleição Pedro Taques (PSDB) falou sobre as ações desenvolvidas em seu governo e fez novos compromissos para os próximos quatro anos. Em pauta, temas como saúde, segurança pública, educação e estradas. O tucano assegurou a manutenção da Universidade Estadual de Mato Grosso (Unemat) enquanto instituição pública, disse que vai ampliar o número de escolas em tempo integral, garantiu que continuará pagando todos os direitos dos servidores públicos e ainda defendeu avanços como a redução da criminalidade. Pedro Taques também lamentou a ausência do candidato Mauro Mendes (DEM) em mais um debate.

“A Unemat tem orçamento de R$ 370 milhões e atende os 141 municípios por meio do ensino à distância. Não concordo com a redução dos recursos e nem com a privatização da Unemat como alguns ex-companheiros queriam que privatizasse. Precisamos fortalecer a Unemat que leva ensino a milhares de pessoas. A Unemat é patrimônio do nosso Estado. Por isso investimos e demos autonomia financeira à instituição e seguiremos apoiando a universidade”, disse Taques.

Leia também:  Thiago Silva defende reestruturação e ampliação da Unemat

Pedro Taques destacou que em sua gestão, chegou a aplicar valores percentuais ainda maiores do que os estipulados por lei. Foram 28% em educação, enquanto o obrigatório é 25% e até 14% em saúde, enquanto a legislação determina 12%.

“Não conseguimos resolver todos os problemas em 3 anos e 8 meses, mas fizemos muito. Temos 40 escolas em período integral e queremos chegar a 100. Temos 8 escolas militares e até o fim do ano queremos chegar a mais 12. Nossos profissionais da educação estão trabalhando muito. Na escola integral do CAIC Pedra 90, antes tinham 53 crimes cometidos dentro da escola, agora nenhum crime. Temos 10 mil alunos nessas escolas integrais que trazem a tranquilidade aos pais em deixá-los na escola”, pontuou o governador.

Pedro Taques também assegurou que irá manter e ampliar o programa Pró-Família para tirar mais famílias da miséria em Mato Grosso. Por meio de um auxílio mensal de R$ 100, 25 mil famílias abaixo da linha da pobreza recebem ajuda para comprar alimentos. O programa atende ainda 3.700 agentes comunitários de saúde em todo o Estado.

Leia também:  “Marrafon é o novo e faz a política que o Brasil merece”, diz Nilson Leitão

“O Pró-família é uma rede de proteção social. As famílias não recebem esmola, recebem uma ajuda até saírem desta situação. Poucos estados do Brasil conseguiram reduzir o número de pessoas abaixo da linha da pobreza como Mato Grosso, por isso vamos aumentar o pró-família e atender mais pessoas e tirá-las desta situação”.

Ao ser questionado sobre obras paradas em sua gestão, o candidato à reeleição reiterou que não participa de acordos não republicanos e não investe recursos públicos em obras com projetos mal feitos como o caso do novo hospital Universitário Júlio Muller. Conforme auditoria da Controladoria Geral da União (CGU), o prédio está sendo construído em lugar errado, e com o convênio determinando 50% repasse ao estado, enquanto a lei exige aporte máximo de 20%. A obra foi paralisada na gestão Silval Barbosa por conta das irregularidades. “Não coloco nenhum real em obra onde houve irregularidade e roubo de dinheiro público. Fiz o compromisso de agir com responsabilidade e trabalhamos para arrumar o que está errado”, ressaltou, observando que sua gestão tem feito mais com menos.

Leia também:  Pedro Taques promete escola militar e Ganha Tempo no Pedra 90

Ao final do debate, Pedro Taques reafirmou o compromisso de comparecer a todas as discussões com os demais candidatos. “Estarei sempre presente, diferente do Mauro Mendes que não veio responder sobre o decreto que suspendeu a progressão de carreira na prefeitura, não veio responder sobre os 800 funcionários que ele deixou de pagar. Obrigado aos candidatos que não fugiram do debate. Não quero ser governador para ficar rico, para recuperar minha empresa. Fizemos muito e estou preparado para seguir em frente, avançando”, finalizou.

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.