Lucia Maria foi carregada por mesários em Salvador - Foto: Ivis Macedo/G1
Lucia Maria foi carregada por mesários em Salvador – Foto: Ivis Macedo/G1

Uma idosa com mobilidade reduzida precisou ser carregada por dois mesários para chegar à seção eleitoral onde vota, na manhã deste domingo (7), no bairro de Nazaré, em Salvador. Com escadas no caminho até a sala, Lucia Maria, de 66 anos, não conseguiu chegar ao local sozinha.

O caso ocorreu no Colégio Estadual Severino Vieira. Antes de receber a ajuda, a eleitora ainda chegou a caminhar, com dificuldade, por cerca de 30 minutos. Lucia reclamou da distância entre a entrada da escola e a sala onde vota.

“Ainda encontramos gente boa nesse mundo, mas deveria ter mais acessibilidade nas escolas”, disse Lucia.

Lucia contou ao G1 que não é a primeira vez que vota no local e que já enfrentou o mesmo problema nas outras vezes. Contudo, a dificuldade não a impede de ir votar.

“Exercer o direito do voto faz parte da nossa cidadania, e do nosso dever de cidadão”, contou.

Uma amiga que a acompanhava também reclamou da distância entre a entrada e a sala de votação “Deveria ter uma sala especial mais perto da entrada, não tem condições de pessoas com essa dificuldade descer escadas”.

Lucia está entre os 42.090 mil eleitores com deficiência aptos para as eleições de 2018. O número é três vezes maior que o registrado em 2014, quando apenas 13.740 mil eleitores eram portadores de deficiência.

Apesar da dificuldade enfrentada pela aposentada, o presidente do tribunal, desembargador José Rotondano, afirmou, antes das eleições, que o acesso dos deficientes está garantido em todos os locais de votação neste ano.

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.