Polícia - Foto: Messias Filho / AGORA MATO GROSSO
Polícia – Foto: Messias Filho / AGORA MATO GROSSO

Eliene Teodoro Mendes, 36 anos, foi morta com quatro tiros na madrugada desta sexta-feira (5), depois que dois homens encapuzados invadirem a casa dela, rendera ela e seu marido e a executarem. O crime aconteceu na Comunidade de Águas Claras, zona rural de Sinop.

De acordo com a Polícia Militar (PM) e a Polícia Civil, a mulher foi morta depois de ter passado informações à polícia sobre integrantes da facção que mataram um comerciante na região.

Segundo os policiais, o corpo da vítima estava em cima de uma cama, ela foi executada com tiros na cabeça por volta de 4h.

O marido da vítima contou à polícia que estava com ela em casa quando eles escutaram os cachorros latindo e dois homens encapuzados e armados, renderam o casal e disseram que se tratava de um assalto.

Leia também:  PM prende suspeitos que tentavam roubar casas no Sagrada Família

Os criminosos foram até o quarto do casal e dispararam, pelo menos, quatro vezes contra a mulher. Em seguida, os suspeitos fugiram na companhia de outros quatro homens que os aguardavam na frente da casa da vítima. Eles estavam em motocicletas.

O marido da vítima relatou que Eliene teria sido morta a mando de um homem que é líder de uma facção criminosa que atua em Sinop. O motivo do assassinato seria porque a mulher dele entregou alguns integrantes da facção à polícia. Esses integrantes participaram do homicídio de um comerciante e foram presos recentemente.

O celular de Eliene foi apreendido. O marido afirmou que há áudios e conversas que podem ajudar na investigação.

Leia também:  Pedido de votos em igrejas pode configurar abuso de poder

De acordo com a Polícia Civil, o celular passará por perícia. A vítima tem antecedentes criminais por tráfico de drogas e associação para o tráfico.

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.