Imagem: pessoa lendo
Foto: reprodução

Um dos problemas mais frequentes nas aulas de português é a interpretação. Aliás, não é um problema exclusivo das aulas de língua portuguesa. Sem a capacidade de interpretação, não se consegue resolver problemas matemáticos nem extrair valiosas lições dos estudos históricos. Mas será que as pessoas sabem, realmente, o que é interpretação?

O que percebemos em nossa experiência docente é uma confusão a respeito dos conceitos de compreensão e interpretação. Esse equívoco gera uma lacuna em uma das competências do desenvolvimento intelectual das pessoas. Antes dos processos de compreensão e de interpretação, ocorre uma sucessão de atividades cognitivas na mente do indivíduo.

Quando uma pessoa está diante de uma mensagem ela tenta captar o significado contido utilizando um processo mental de percepção. Esse processo consiste na utilização de faculdades mentais para captar as mensagens que são absorvidas no nosso cotidiano.

Existem várias faculdades mentais que podem ser utilizadas para poder se captar o significado de algo. Podemos destacar a memória, a emoção, a intuição, o raciocínio e a empatia. Dependendo da situação, apenas uma dessas faculdades bastam. Já em outras circunstâncias, é necessário empregar diferentes faculdades para conseguir captar o significado de algo.

Leia também:  Obra parada | Alunos da Escola Emanuel Pinheiro seguem sem destino

No momento em que conseguimos apreender os significados presentes nas mensagens, alcançamos o entendimento. Então, a capacidade de entender algo é quando usamos as nossas faculdades mentais para perceber as coisas.

Muitas vezes conseguimos entender alguns elementos que nos são apresentados. Todavia, nem sempre só o entendimento basta. Às vezes, é importante que saibamos mais do que, simplesmente, entender. O equação de 2º grau, por exemplo. Vamos supor que a pessoa já aprendeu como resolver tal conta, mas o que fazer a partir daí? Será que não seria pertinente saber mais sobre a famigerada equação?

Por exemplo, o que sabemos sobre a história da equação de 2º grau? Onde ela foi criada? Por que foi criada? Quem a criou? Ao responder tais questionamentos, entendemos a historicidade do elemento estudado, desse modo, podemos relacioná-lo com a nossa contemporaneidade.

Leia também:  Entregador de peças fica ferido após colidir com caminhonete no Centro

Depois, podemos pensar sobre utilização dessa espécie de equação na sociedade. Como aplicamos a equação de 2º grau no nosso dia a dia? Em quais tarefas? Quais profissões lidariam com tal mecanismo matemático nos seus afazeres diários?

Por último, seria interessante refletirmos como a equação aqui discutida pode nos ajudar no nosso desenvolvimento pessoal. Qual capacidade podemos desenvolver ao resolver várias equações? Seria o raciocínio lógico? Ou seria outra capacidade?

Após conhecermos a história do elemento, sua aplicação na sociedade e o contexto pessoal de desenvolvimento que nos é proporcionado, expandimos nosso entendimento sobre o objeto de estudo. Quando ampliamos o entendimento que temos sobre algo, chegamos a compreensão do que nos é apresentado. Compreender é, portanto, o ato de ampliar o entendimento.

Contudo, por vezes, ficamos diante de mensagens ocultas que nos impossibilitam de executar até o entendimento, que dirá a compreensão. Esse tipo de mensagem exige um outra atitude. Isso é necessário, já que as palavras podem estar sem sentido ou pode ser algo muito alheio à realidade que estamos habituados.

Leia também:  Em plena luz do dia, PM prende suspeito com duas armas na cintura

Na situação mostrada acima, é importante conhecer quem escreveu o texto. Depois saber as condições que motivaram a criação de tal comunicação. Dessa forma, a mensagem deixa de ser oculta e se torna uma mensagem decifrada.

Quando fornecemos sentido para uma mensagem oculta, nos posicionando sobre o seu significado, executamos o processo mental de interpretação. Podemos dizer, então, que interpretar algo, nada mais é, do que decifrar uma mensagem que, aparentemente, estava oculta.

Existem muitas interpretações diferentes para uma mesma mensagem, entretanto nem toda interpretação está correta. Nesse caso, ocorre o erro interpretativo, mas isso é um assunto para abordarmos em um outro texto. Até o nosso próximo encontro.

Quer saber mais sobre compreensão e interpretação de texto? Acesse: https://www.youtube.com/c/CaminhosdaLinguagem

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.