- Foto: Varlei Cordova / AGORA MATO GROSSO
Local onde era o antigo ecoponto no Atlântico está totalmente limpo – Foto: Varlei Cordova / AGORA MATO GROSSO

Moradores da Vila Paulista estão fazendo um protesto há quase um dia, no local destinado para o novo ecoponto em frente ao antigo Ypê Tênis Clube. O cumprimento de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) entre Prefeitura de Rondonópolis e o Ministério Público do Estado (MPE) gerou polêmica, pois com a desativação dos ecopontos do Sagrada Família e Jardim Europa, o poder público tem um prazo para construir quatro novos locais para o descarte seletivo de lixo de várias naturezas.

O medo de muitos moradores é que no local não é descartado somente galhos de árvores, restos de jardinagem, construção civil, mas também móveis velhos e até animais mortos.

- Foto: Varlei Cordova / AGORA MATO GROSSO
Moradores da Paulista estão reunidos deste segunda-feira (26) na frente do Ecoponto – Foto: Varlei Cordova / AGORA MATO GROSSO

Cerca de 30 pessoas, todas moradoras do bairro estão reunidas desta segunda-feira (26), fazendo plantão no portão do terreno que foi escolhido para barrar quem chega no local a fim de descartar os resíduos.

- Foto: Varlei Cordova / AGORA MATO GROSSO
Carroceiro foi impedido de deixar resíduos no Ecoponto da Paulista – Foto: Varlei Cordova / AGORA MATO GROSSO

“Nós não queremos o ecoponto aqui na Vila Paulista, tiraram do Atlântico e do Sagrada Família, e agora querem colocar aqui. Para nós esse bairro é tudo, moramos aqui, somos trabalhadores, mães e pais de famílias. Por mais que estamos afastados da cidade não queremos receber o ecoponto. O que o Zé Carlos do Pátio fez é uma traição, se ele quiser que nós saímos, vai ter que vir pessoalmente falar com todos os moradores, não adianta mandar secretário para conversar com a gente. Parece que o Zé só lembra da gente na época de pedir voto”, questionou uma moradora.

Segundo os moradores, a rodovia que leva até o ecoponto é outra preocupação já que não tem acostamento e nem infraestrutura para o fluxo de veículo e até carroças que transportam os resíduos.

- Foto: Varlei Cordova / AGORA MATO GROSSO
Marcelo tem medo que resíduos caíam na rodovia MT-270 durante o transporte até o Ecoponto – Foto: Varlei Cordova / AGORA MATO GROSSO

“Vai prejudicar no geral, o lixo vai ter acúmulo de água podendo dar um surto de dengue. Muita gente não vê, mas isso é jogada política. O translado desse lixo até o ecoponto vai acabar caindo na rodovia podendo até ocasionar acidente. O prefeito não vê essas questões”, desabafou outro morador.

Em contato com o secretário Municipal de Meio Ambiente, João Copetti, sobre o que vai ser feito mediante ao protesto dos moradores, secretário explicou que o local será usando de forma temporária.

“A utilização desse ponto para depósito de resíduos será temporária até o término da construção dos quatro novos ecopontos que inclusive já estão sendo licitados” explicou Copetti.

 

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.