Imagem: militares e Bolsonaro
Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

O presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), fechou a equipe com o apoio de oito oficiais das Forças Armadas, um número maior do que os indicados pelos cinco principais presidentes do período militar, na década de 1960.

Em um levantamento feito no site Biblioteca da Presidência da República, é possível contar os oficiais que estiverem em postos-chaves entre abril de 1964 e março de 1985. Enquanto Castelo Branco (1964-1967) convocou cinco oficiais, Costa e Silva (1967-1969), Médici (1969-1974) e Geisel (1974-1979) tiveram sete — Figueiredo (1979-1985) indicou seis. Já no governo Bolsonaro, cargos de 1° escalão são ocupados por nove militares.

Estão na equipe de Bolsonaro os generais Fernando Azevedo e Silva (Defesa), Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional), Carlos Alberto dos Santos Cruz (Secretaria de Governo) o almirante Bento Costa Lima Leite (Minas e Energia), os capitães Tarcísio Freitas (Infraestrutura) e Wagner Rosário (Controladoria-Geral da União) e o tenente-coronel Marcos Pontes (Ciência e Tecnologia). Além deles, o general Santa Rosa vai comandar a Secretaria de Assuntos Estratégicos (SAE), que não tem status de ministério.

Leia também:  Janaina continua na briga pela Mesa e nega afastamento

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.