Atirador que roubou arma de policial, matou inocente e feriu outras duas pessoas - Severino Silva/Agência O Dia
Atirador que roubou arma de policial, matou inocente e feriu outras duas pessoas – Severino Silva/Agência O Dia

Um ex-PM do Rio Grande do Norte roubou a arma de um policial dentro da 5ª DP (Gomes Freire), matou um inocente que chegava para registrar queixa e feriu outras duas pessoas, entre elas um agente da delegacia, na manhã desta sexta-feira. O homem tinha sido detido no Aeroporto Santos Dumont pelo Aterro Presente ao causar tumulto e teve a algema retirada para assinar termo na distrital quando pegou a arma do agente do programa de Segurança Presente e deu cerca de 15 tiros a esmo.

Segundo informações, o preso deu muito trabalho no aeroporto, onde “danificava o patrimônio da Infraero”, até ser algemado e levado para a 5ª DP. Ao fim da ocorrência, quando assinaria o termo circunstanciado para ser liberado, foi retirada a algema, momento em que tomou a arma e fez os disparos enquanto fugia.

Leia também:  Sirene de outra barragem de MG é acionada por risco de desabamento

Na fuga, ele atingiu o inocente que estava na porta da 5ª DP e correu até a esquina da Avenida Gomes Freire e Rua da Relação, e ainda rendeu um motociclista que estava parado no sinal, que acabou sendo atingido por um tiro na barriga na troca de tiros, que causou pânico na região. O atirador acabou sendo baleado na cabeça em frente à sede da Polícia Civil.

“Ele estava preso. Soube que ele conseguiu pegar a arma do policial dentro da delegacia e começou a atirar (ainda dentro da delegacia). Na fuga, ainda atirando, ele ainda tentou tomar a moto de um passageiro que estava no sinal da Rua da Relação, que acabou baleado na barriga, e quando ele tentou subir na moto, um policial civil baleou ele”, diz uma testemunha que viu tudo. “Muito tiro e foi assustador”, lembrou.

Leia também:  Casal morre afogado após tentar tirar selfie em praia do RJ

O dono da moto e o policial civil foram levados para o Hospital Souza Aguiar, no Centro do Rio. O inocente morto na porta da delegacia foi identificado como Valdecir de Jesus, de aproximadamente 60 anos. No local, o filho dele se desesperou:

“Meu Deus, por que isso aconteceu? Meu pai está caído ali. Eu só quero tirar ele dali”, gritou Vladimir Teixeira de Jesus. Quem estava  no local reclamou da demora do Corpo de Bombeiros para socorrer as vítimas. O atirador agonizou durante cerca de uma hora até, finalmente, ser socorrido.

A entrada da delegacia, onde está a vítima fatal, ainda não identificada, está isolada e a Delegacia de Homicídios (DH-Capital), assim como o quarteirão entre as ruas da Relação e Senado, para a perícia da especializada, que conduzirá a investigação.

Leia também:  Pai agride filha de dois meses até a morte por se irritar com choro da bebê

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.