Local apresenta novas chamas e muita fumaça - Foto: Roberta Bindá/ Rede Amazônica
Local apresenta novas chamas e muita fumaça – Foto: Roberta Bindá/ Rede Amazônica

O incêndio que atingiu mais de 600 casas na noite desta segunda-feira (17) no bairro Educandos, na Zona Sul de Manaus, continua a apresentar novos focos de chamas. Na manhã desta terça-feira (18), moradores da região relataram que o local ainda apresenta riscos. No início desta madrugada, o prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, anunciou que assinará decreto de calamidade pública.

Famílias atingidas pelo incêndio permaneceram no local durante toda a noite. Segundo moradores, a estrutura de uma casa de alvenaria por trás da Rua Inácio Guimarães – destruída durante o incêndio – apresentou uma explosão às 6h30 desta terça. As chamas tomaram conta da residência, mas o Corpo de Bombeiros combateu o fogo imediatamente.

Leia também:  Fies: aditamento do financiamento começa hoje (29) e segue até novembro

Os bombeiros, Polícia Militar e Manaustrans estão no local para orientar moradores e observar a situação. O acesso às ruas atingidas – bloqueado ontem a partir da ponte da avenida 7 de Setembro/avenida Leopoldo Peres; rua Felismino Soares; avenida Lourenço da Silva Braga e Ponte de Educandos – começou a ser desbloqueado na manhã desta terça.

Três feridos foram confirmados pela Secretaria de Saúde do Amazonas (Susam). Segundo a pasta, uma senhora de 53 anos é a que tem estado mais delicado. Ela foi levada ao SPA da Zona Sul com sintomas de intoxicação por inalação de fumaça. O quadro evoluiu para um Edema Agudo de Pulmão e ela sofreu uma parada cardiorrespiratória. A vítima foi atendida na emergência e aguardava estabilização do quadro clínico para ser transferida ao Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto.

Leia também:  Idosos e PNE's devem se inserir no Cadastro Único até dezembro

Uma adolescente grávida de 14 anos e um sargento do Corpo de Bombeiros também deram entrada em unidades de saúde com problemas respiratórios, mas já passam bem.

O incêndio
O fogo começou em uma área com dezenas de casas de madeira, entre as ruas Inácio Guimarães e Nova, por volta das 20h, e se propagou para residências de alvenaria. A quantidade de veículos estacionados nas vias, o vento constante e a interrupção na distribuição de energia elétrica agravaram a situação.

O grupo de apoio “Moradores de Rua” organizou uma ação solidária para recolher doações para as pessoas afetadas pelo incêndio. Itens de primeira necessidade, como água, alimentos e materiais de higiene são prioridade para arrecadação. Roupas, colchões, lençóis também podem ser doados, além de outros.O grupo de apoio “Moradores de Rua” organizou uma ação solidária para recolher doações para as pessoas afetadas pelo incêndio. Itens de primeira necessidade, como água, alimentos e materiais de higiene são prioridade para arrecadação. Roupas, colchões, lençóis também podem ser doados, além de outros.

Leia também:  Verão 2019 terá temperaturas acima da média

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.