O tempo não perdoa nada e ninguém e disso sabemos bem, certo? E com o marketing não foi diferente, afinal, ao longo das décadas passamos por significativas mudanças na forma com a qual nos comunicamos, informamos e, principalmente, na forma como consumimos um produto ou serviço.

O que era tendência semana passada, hoje, já caiu no esquecimento da grande massa. Uma campanha de marketing perfeita pode desmoronar com um simples tweet de 140 caracteres e associar a sua marca a um youtuber que caiu em desgraça pela opinião pública, fazendo qualquer profissional de marketing perder o sono e suar frio.
Mas, afinal, será que hoje a forma como aplicamos e conduzimos estratégias de marketing mudou tanto assim em comparação há anos atrás? E o que esperar do futuro?

Marketing, Philip Kotler e os conceitos que resistem ao tempo!

Podemos dizer que Philip Kotler é o pai do que hoje conhecemos como marketing ou estratégias de marketing. Foi ele na década de 60 quem propagou e difundiu o termo marketing como uma ferramenta essencial no processo de administração de uma marca, produto ou serviço.
Kotler definiu o marketing através dos famosos 4ps – também denominados: “mix de marketing” ou “composto de marketing” – que são: Produto, Preço, Praça e Promoção. Os 4ps de Kotler são usados até hoje como base para projetar qualquer campanha, estratégia ou pesquisa de marketing.
E por que tal conceito permanece imutável? Ora, porque a prática comercial continua a mesma:

Empresa – Produto/Serviço – Mercado – Divulgação – Consumidor final – Lucro

As ferramentas que movem o mercado consumidor continuam rodando em volta das mesmas bases centrais. O que mudou nos últimos anos foi aquilo que chamamos de tempo. Ao contrário do que muitas pessoas pensam ou acreditam, o Marketing não mudou por causa da globalização ou mesmo da tecnologia.
A forma como as estratégias são aplicadas se adaptou ao tempo que o consumidor final leva para receber, identificar e consumir o produto ou serviço que determinada empresa oferece. Logo, podemos dizer que o marketing do passado, do presente e as tendências do futuro correm contra o tempo para poder se adaptar aos anseios e a urgência que o consumidor final exige.
Vamos compreender melhor como era, é, e quais perspectivas sobre como será o marketing nas próximas décadas.

Leia também:  PM Ambiental apreende mais de 170 kg de pescados na MT-458

Imagem: POST 1Passado

O marketing de décadas atrás seguia por correntezas bem mais mansas, um produto ou serviço para entrar no mercado demorava meses ou mesmo anos entre a sua idealização e produção final.

Por isso, as estratégias de marketing eram feitas e traçadas em longo prazo, as agências de publicidade junto com os departamentos de marketing das empresas podiam desfrutar de um longo período para pensar e criar a melhor alternativa e promoção antes de lançar um novo produto.

Outro ponto que precisa ser destacado é o que envolve os meios de comunicação, ou seja, a forma como essa promoção era divulgada e como era recebida pelo consumidor final.
As propagandas se baseavam em linguagens para os seguintes canais:

Revistas;
Jornais;
Rádio;
TV; e
Outdoor.

Uma marca chegar à TV era o auge para qualquer empresa e estratégia de marketing. A televisão sempre foi o grande termômetro para campanhas publicitárias, quando um slogan caia nas graças do público significava que as estatísticas de venda e lucro seriam positivas e que o trabalho de meses tinha atingido sucesso.

Nessa época esperava-se muito, também, da divulgação boca a boca, por isso, slogans e jingles eram tão usados e tão fundamentais quando algo era lançado no mercado.

Uma marca podia usar de uma mesma campanha, um mesmo slogan e uma mesma estratégia de marketing vezes seguidas que ainda assim o público-alvo permanecia fiel ao produto. No passado uma campanha de sucesso era perpetuada sem necessidade de mudança de linguagem, imagem ou estratégia.

Leia também:  Dupla é detida acusada de matar professor e jogar videogame enquanto vítima agonizava

Presente

Nos dias atuais para uma estratégia de marketing atingir seu auge é necessário que a marca viralize nas redes sociais – a famosa boca a boca se transformou nos compartilhamentos dos dias atuais. O termômetro mudou de mãos, foi da TV para a Internet em um piscar de olhos.

Se no passado as campanhas de marketing e as pesquisas de mercado aconteciam sem pressa de sair do papel, hoje, quem trabalha na área precisa correr contra o tempo para conseguir se adaptar a cada nova plataforma que surge no mercado, reforçar sua identidade e marca nos canais offline e, ainda, acompanhar cada pequena mudança na linguagem e na forma de se comunicar com o público-alvo.

Uma boa estratégia de marketing nos dias atuais não se baseia, porém, apenas em redes sociais, virais, memes e em associar um produto ou serviço a alguma celebridade ou influenciador digital.

É preciso investir em conteúdo e conteúdo de qualidade. Ter um blog bem planejado, atualizado e com um conteúdo bem escrito que consiga levar informação de maneira clara, concisa e utilizando todas as estratégias SEO é a chave do sucesso para ganhar visibilidade e destaque entre os concorrentes.

A produção de conteúdo inteligente e atrativo faz parte da estratégia de Inbound Marketing e de Marketing de Conteúdo que, basicamente, utilizam de estratégias que priorizam atrair o consumidor para o seu site através do seu blog com o intuito não de vender diretamente algo, mas de se tornar uma fonte confiável de informação e entretenimento e, dessa forma, converter esse leitor em um possível cliente e em um canal de propagação da marca e/ou produto oferecido.

O marketing digital tomou a frente, e hoje é a principal ferramenta de trabalho onde os 4ps de Kotler precisam se encaixar.

Futuro

O que esperar do marketing para os próximos 20 anos? Na realidade o marketing do futuro já está sendo feito agora no presente. Enquanto muitos ainda estão se adaptando as novas tecnologias e linguagem, há mentes pensando em como aperfeiçoar a forma como nos comunicamos, informamos e consumimos produtos e serviços.

Leia também:  Lixo e mato alto geram medo a moradores do Jardim Assunção

A ideia é que nos próximos anos as plataformas digitais estejam todas devidamente integradas e aperfeiçoadas para serem consumidas de maneira inteligente e rápida através dos smartphones.

As estratégias de marketing e, principalmente, muitos dos sites e blogs ainda não interagem de forma tão eficaz na maioria dos aparelhos smartphones, o uso de aplicativos acaba sendo a maneira mais fácil e prática de acessar páginas de e-commerce, redes sociais e alguns tipos de serviços.

Porém, especula-se que nos próximos anos a integração atingirá todos os canais que possam ser acessados com as pontas dos dedos. Ou seja, tornar a vida e a experiência do consumidor mais rápida e dinâmica do que nunca, sem a necessidade de abrir e fechar aplicativos para consumir diferentes produtos.

O marketing deverá cada vez mais aproximar dois universos distintos: a ciência exata – para leitura de dados, métricas, análise de perfis e estudo de mercado – e a criatividade – para ser capaz atrair o público-alvo através de campanhas criativas, fora da caixinha e que agreguem carga emotiva e personalidade.

Claro que com os avanços tecnológicos e a com a rapidez com o que algo entra e sai de tendência, ditar o futuro é andar em uma corda bamba livre de certezas e seguranças. Então, devemos ficar olhos abertos para acompanhar qualquer mudança no percurso das futuras tendências que podem transformar a forma como fazemos e lidamos com o marketing.

E, então, gostou de viajar pelo tempo e através das mudanças de comportamento do marketing? Você vivenciou alguma ou algumas dessas mudanças ao longo dos anos e quer dividir conosco a sua experiência? Deixe um comentário contando como você se adaptou e o que espera do futuro!

Silvana Marques – CEO
E-mail: [email protected]
Site: https://outz.com.br/

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.