Imagem: Cidade de Pedra terminal Praça dos Carreiros
Cidade de Pedra opera ha 4 anos sem contrato – Foto: AGORA MT

O transporte coletivo de Rondonópolis há tempos se tornou um problema para a administração municipal e para os usuários que sofrem com a falta de estrutura. A empresa Cidade de Pedra vem operando há quatro anos sem contrato com o município.

Nesta quinta-feira (27), pela terceira vez, a licitação destinada a concessão para prestação do serviço público de transporte coletivo de passageiros foi considerada deserta. A sessão foi acompanhada pelo secretário municipal de Transporte e Trânsito, Rodrigo Metello, e o gerente da empresa Cidade de Pedra, Paulo Sérgio Silva.

O Secretário afirmou que irá se reunir com o prefeito no início de 2019 para encontrar uma solução.

EDITAL

O Edital prevê que a concessionária do transporte coletivo terá que cumprir metas de ampliação no número de veículos, além de atender a população com acessibilidade para pessoas com deficiências.

A concessão engloba todas as linhas atuais e tem prazo de 10 anos, podendo ser prorrogado pelo mesmo período e por uma única vez, através de aditamento ao Contrato de Concessão.

A frota necessária é de 80 ônibus, sendo 73 operacionais e sete reservas, sendo que, inicialmente, 40% deve contar com ar condicionado. Esse porcentual será aumentado com o tempo de concessão. Todos os veículos precisam dar acessibilidade a pessoas com deficiências, sendo que 10% da frota poderá ser composta de micro-ônibus.

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.