Adriano Duarte junto ao tio da menina exibe documentos que comprovariam o erro médico - Foto: Ricardo Costa / AGORA MATO GROSSO
Adriano Duarte junto ao tio da menina exibem documentos do óbito da menina – Foto: Ricardo Costa / AGORA MATO GROSSO

Os familiares de uma menina de 6 anos que morreu no Pronto Atendimento Infantil (PAzinho), na quarta-feira (9) procuram uma resposta para a morte da criança e pedem que seja feita uma investigação.

Na Certidão de Óbito consta que a causa da morte da garota foi uma infecção generalizada que causa falência de órgãos e complicações causadas por bactérias, mas os pais da menina não acreditam que essa seja a causa da morte.

Conforme o pai da menina, Adriano Duarte Aguiar, a garota foi para o PAzinho na terça-feira (8), porque estava com febre e dor de garganta.

Adriano Duarte Aguiar, pai da menina que morreu - Foto: Ricardo Costa / AGORA MATO GROSSO
Adriano Duarte Aguiar, pai da menina que morreu – Foto: Ricardo Costa / AGORA MATO GROSSO

“Eu não estou aqui para julgar os médicos, mas minha filha chegou no hospital andando e conversando. Nós levamos ela porque estava com dor de garganta e febre. Quando chegamos no hospital, minha filha começou a vomitar e a enfermeira deu um medicamento para cortar a febre e o vômito. Depois mandaram a gente voltar para casa. Quando voltamos, em questão de 2h, minha filha começou a vomitar e a passar muito mal, aí voltamos para o PAzinho novamente e minha filha saiu de lá morta na quarta-feira (9), “ desabafa o pai.

Leia também:  Município e prefeito são acionados por descumprirem leis de Acesso à Informação e da Transparência

Adriano disse que a filha já era alérgica a dois medicamentos e que passou a informação antes da aplicação do medicamento que foi aplicado para cortar o vômito e febre. “Após o medicamento, quando voltamos para casa, a minha filha empolou e ficou toda vermelha. Quando voltamos para o hospital, por volta das 14h30 ela já estava com a barriga inchada e as manchas estavam escurecendo cada vez mais. Ela foi entubada e na quarta-feira (9) por volta das 12h30 recebi a notícia da morte da minha filha, “ explica Adriano.

A coordenadora da Unidade de Pronto Atendimento (UPA), Vânia Scapini, informou que a direção clínica do Pronto Atendimento Infantil já fez todo o processo de investigação, mas que é preciso aguardar até a próxima semana, onde o Diretor Técnico do PAzinho estará passando as informações sobre a investigação.

Leia também:  Deputados querem aumento de salário igual ao do STF

“Nós nos reunimos nesta quinta-feira (10) e foi feito todo o levantamento do processo, desde a entrada da garota ao hospital, até a saída. As informações sobre o caso estão sendo analisadas e serão repassadas na próxima semana pelo diretor do PAzinho, “ esclarece Vânia.

 

 

 

 

COMPARTILHAR
Artigo anteriorJesus perdoa Deborah

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.