Imagem: Pedro Taques e Mauros Mendes
Pedro Taques e Mauro Mendes, Antigo e novo Governador do Estado – Foto – Reprodução

No início do governo Pedro Taques (PSDB), em 2015, um ano após a Copa do Mundo no Brasil, restavam inacabadas 20 obras que deveriam ter ficado prontas para o Mundial de futebol. A conclusão desses projetos, incluindo o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), foi uma das maiores cobranças exercidas sobre o então governo.

Na administração passada, 11 obras foram entregues, entre elas a trincheira do Verdão, o viaduto do Tijucal, a trincheira Santa Rosa, em Cuiabá, e a revitalização do Complexo da Salgadeira, entre a capital e Chapada dos Guimarães.

O novo governador de Mato Grosso, Mauro Mendes (DEM), ainda não se manifestou sobre as obras da Copa depois que tomou posse no cargo, no último dia 1º, mas em dezembro afirmou que o VLT não será prioridade no primeiro ano da gestão dele, em 2019, e que o estado não tem como custear R$ 1 bilhão para concluir a obra e que é preciso regularizar os salários dos servidores públicos que estão sendo pagos no dia 10 de cada mês.

Leia também:  Fecomércio deve investir mais de R$ 4 mi na região Norte do estado

Conforme a gestão Pedro Taques, um inventário completo da situação em que se encontravam as obras e os contratos oriundos da Copa de 2014 foi feito e que uma equipe técnica da Secretaria Estadual de Cidades (Secid), com o apoio da Controladoria Geral do Estado (CGE-MT), acompanhou o processo de retomada e execução de cada obra.

No caso dos contratos ainda com empecilhos técnicos e jurídicos, a Secid teve ajuda, a partir de 2017, da Procuradoria Geral do Estado (PGE), que acionou judicialmente as empresas executoras que não quiseram assinar os Termos de Ajustamento de Gestão e, consequentemente, não sanaram as patologias das obras.

A construção do Centro Oficial de Treinamento da UFMT é uma das obras que ainda não foi concluída. A obra está 83% executada. A pista de atletismo está concluída, restando apenas serviço de iluminação que será executado com o apoio da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). A obra que estava orçada em R$ 15,8 milhões vai custar R$ 17,2 milhões.

Leia também:  Grupo de oração Domingos Sávio realiza ‘Festival do Sorvete’ no próximo fim de semana

A obra de implantação e duplicação da Avenida Parque do Barbado, em Cuiabá, cujo contrato foi assinado em 2013, ainda falta 20% para ser concluída. Em 2018, foram executados serviços de terraplanagem, drenagem, na região da rotatória, entre a Avenida Parque do Barbado e Avenida Brasília, com expectativa de que até final de 2018 seja concluída a rotatória. A demora na conclusão também encareceu a obra. O valor inicial do contrato era de R$ 23.034.586,02, mas a obra vai sair por R$ 29.556.678,00 valor final do contrato.

 

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.