As perspectivas para a safra 2018/19 do milho mato-grossense são boas, sendo esperada
uma produção de 28,5 milhões de toneladas, o que representa um incremento de 3,43% em relação ao que está sendo visto na atual safra.

A previsão vem ao encontro do adiantamento da semeadura da soja, o que pode colaborar para uma melhor janela do milho no Estado de Mato Grosso (MT). Diante da valorização do cereal na bolsa de Chicago e da moeda norte-americana durante 2018, as vendas para a safra futura estão consideravelmente adiantadas para o período, apresentando 36,4% da produção total.

Assim, com aproximadamente 1/3 da safra vendida, é importante estar atento quanto à rentabilidade do produtor: até o momento, o preço ponderado das vendas da safra futura está a uma média de R$ 20,59/sc, o que representa 6,6% acima do atual ponto de equilíbrio do milho de alta tecnologia.

No entanto, mesmo com o produtor negociando o cereal com preços acima do necessário para cobrir seu custo variável, é importante salientar que fatores como o comportamento das cotações no mercado interno, dólar e Chicago ainda são incógnitas e serão fundamentais na definição da rentabilidade no próximo ano. Além disso, há probabilidade de ocorrência do fenômeno El Niño, que pode provocar alterações nos níveis de chuvas do
Brasil e demanda atenção quanto aos impactos na safra mato-grossense.

As informações são do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea).

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.