Os ônibus coletivos que circulam pela cidade de Rondonópolis (MT) devem parar a partir das 14h desta quarta-feira (30). Mais de 150 trabalhadores do transporte coletivo da empresa Cidade de Pedra devem paralisar as atividades para reivindicar melhorias na Câmara Municipal.

Conforme informações do assessor do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Terrestres de Rondonópolis, Afonso Aragão, os veículos devem sair de circulação e um manifesto deve acontecer na Câmara de Vereadores.

A empresa protocolou um documento e encaminhou ao Prefeito Zé Carlos do Pátio (SD), informando que tem operado com um desiquilíbrio econômico financeiro resultante de tarifas aplicadas inferiores aos custos reais do sistema de transporte ao longo dos anos.

Ainda no documento é solicitado do poder público subsídio financeiro de R$ 350 mil ao mês à empresa, além da isenção do Imposto Sobre Serviço (ISS), que compromete 5% de toda receita do sistema.

“Estamos buscando uma solução. O protocolo enviado para a Prefeitura tinha um prazo de 5 dias para ser respondido, mas não foi feito. Diante da situação o manifesto será feito. Todas as licitações não condizem com a realidade da cidade de Rondonópolis. Antes o transporte coletivo tinha como concorrente os meios de locomoção, como táxi, moto-táxi, mas hoje ainda existe os transportes por aplicativos, ai a gente tem que segurar o percentual dos estudante que é repassado pela Prefeitura, de outro lado temos que segurar toda gratuidade que é feita, e o que sobra é aquele percentual de trabalhadores que usam o transporte coletivo e que pagam a tarifa completa. Como não tem volume de passageiros, o uso do transporte coletivo não é prioridade na cidade e o setor fica vazio, ” explica o assessor.

No protocolo também consta que dentro de 90 dias a empresa estará recolhendo seus veículos e entregando a concessão do serviço para o poder público, já que não houve uma posição por parte da Prefeitura.

NOTA PREFEITURA 

A prefeitura Rondonópolis informa que trabalha para encontrar uma solução para continuidade do serviço público de transporte coletivo de passageiros no município.

Já foram feitas três tentativas de licitar a concessão do serviço. No entanto, não houve interessados nos certames, sendo que o último foi realizado no fim do ano passado.

Quanto à solicitação da empresa, a Prefeitura está analisando a viabilidade jurídica, financeira e econômica dos pleitos.

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.