Imagem: Del NeroDesde abril de 2018, quando Marco Polo del Nero foi banido do futebol, importantes membros da cúpula do Palmeiras defendem a sua expulsão do clube.
Del Nero foi banido graças ao Comitê de Ética da Fifa. Considerado culpado das acusações de suborno e corrupção, conflito de interesse e desvio de conduta à frente da CBF.

Foi banido e multado em 1 milhão de francos suíços (cerca de R$ 3,5 milhões). Del Nero recorreu à segunda instância jurídica da Fifa para tentar derrubar a punição. Ainda não houve a resposta definitiva.

O ex-presidente da CBF é conselheiro vitalício do Palmeiras

Sua ascensão foi fulminante. A trajetória no clube começou em 1971 quando foi nomeado diretor de sindicância, por ser advogado. Muito bem relacionado, se tornou diretor jurídico, secretário do Conselho de Orientação e Fiscalizador. Se tornou benemérito e, finalmente, conselheiro vitalício. Ou seja, enquanto estivesse vivo, seria conselheiro do clube. O que é uma grande honraria.

E mais, em janeiro deste ano, conseguiu realizar um sonho. Marco Polo Del Nero Filho se tornou também conselheiro vitalício. Sim, seu filho tem também o importante cargo

O jornal “Estado de S.Paulo” questionou a Fifa sobre o que poderia acontecer com o Palmeiras, por não ter banido ex-presidente da CBF como seu conselheiro vitalício.

A resposta ganhou manchetes de todos os portais.

O clube que não respeitar uma decisão aprovada por órgãos internos estará incurso no artigo 64 do Código Disciplinar da Fifa. “Ele será avisado e notificado que, no caso de inadimplência ou não cumprimento de uma decisão dentro do prazo estipulado, pontos serão deduzidos ou será ordenado o rebaixamento para uma divisão inferior.” A punição ainda prevê proibição de transferência de jogadores.

Só que o departamento jurídico palmeirense já fez questão de acalmar o presidente Mauricio Galiotte e seus aliados mais próximos.

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.