Bom dia, boa tarde, boa noite, boa madrugada, Carnaval chegando, espero que vocês tenham uma ótima folia, cuidado sempre, não permitam que a festa mais “louca” do mundo se torne uma tragédia.

Então imagina o seguinte, eu chego em você e convido para participar de uma pirâmide financeira, sabe aqueles “investimentos” que se não houver mais investidores, quebra porque não tem produto vendável?

Pois é, a Previdência Social é uma pirâmide financeira, ela é insustentável como esta e se não for reformada vai dar um calote em você quando for se aposentar, porque pura e simplesmente não vai ter o dinheiro que você depositou lá via INSS.

Há muita mitificação sobre a Previdência, sendo a principal dela é que não precisaríamos de reformas, precisaríamos cobrar os grandes devedores. Pois é, mas os grandes devedores mesmo que são apenas 18 % do total de grandes devedores e que devem a maior parte da dívida a receber pelo INSS estão fechados, extintas empresas como a VARIG, por exemplo.

Claro que temos que cobrar as empresas que estão abertas e devendo o INSS, como é o caso da JBS, que segundo os procuradores Federais são os maiores devedores com empresa aberta hoje, totalizando na época do levantamento R$ 2,4 bilhões.

Deu para perceber que desse jeito a conta não fecha, mas não podemos deixar de falar também sobre um problema que ocorreu a previdência e para você não ser enganado, com pessoas que vão falar mal da reforma.

Já falei aqui algumas vezes que o estado brasileiro se tornou um câncer, outro dia via duas belas mulheres falarem sobre um homem ser bom partido e a outra sentenciou na hora porque a amiga devia namorá-lo: “Ele é funcionário público, tem estabilidade”.

Imagem: INSS
Foto – Reprodução

Uma sociedade onde você posta nas redes sociais que abriu uma empresa e ninguém comemora, e onde posta que passou em concurso público e chove likes, é uma sociedade que compreende que o estado e seus funcionários na maioria das vezes são privilegiados, tendo um tratamento e um padrão de vida muito maior que a população, sem dar grande retorno a sociedade por isso.

Quem faz a Previdência sangrar e ter dívidas, mês após mês, não é o seu João da esquina e sua aposentadoria de um salário mínimo, quem destrói o sistema são as aposentadorias dos altos escalões do funcionalismo público e políticos, que possuem privilégios dentro da Previdência.

Seria a grosso modo assim, os 5 % mais privilegiados dos funcionários públicos aposentados são responsáveis por 80 % do rombo da Previdência (não são números exatos, mas são próximos disso).

Então quando aquele seu colega vir lhe falar que a reforma da Previdência vai prejudicar os mais pobres, ouça ele com carinho, mas saiba você onde é a sangria.

Agora vamos a proposta que foi feita para a reforma:

Idade mínima:

62 anos mulheres

65 anos homens

Tempo mínimo de contribuição de 20 anos

Quem quiser se aposentar com o tempo mínimo de contribuição receberá 60% do benefício, que será calculado pela média de todos os salários de contribuição.

Se o trabalhador continuar trabalhando após o tempo mínimo e superada a idade mínima, o valor do benefício sobe 2% ao ano.

Para conseguir o benefício com 100%, só após 40 anos de contribuição, não podendo passar do teto do INSS que é hoje de R$ 5.839,45.

As alíquotas serão maiores para quem quer receber mais (alíquota é a mordida que o INSS dá no seu salário).

Para quem quer receber até um salário mínimo, a alíquota cai de 8 % para 7.5 %.

Quem quer ganhar de um salário mínimo a R$ 2 mil, alíquota de 7.5 % a 8.25 %

Quem ganhar de R$ 2 mil a R$ 3 mil, de 8.25 % a 9.5 %

Quem quer ter o benefício de R$ 3 mil a R$ 5.839,45 que é o teto alíquota é de 9.5 % a 11.68%.

Essas cobranças serão feitas de forma proporcional , quem ganha R$ 1.250, por exemplo, terá descontado 7.5 % de R$ 1.000, e os outros R$ 250 será cobrada a alíquota da próxima faixa que é de 7.5 % a 8.25 % entenderam?

Essa última parte ficou chato de explicar mesmo, mas só lerem uma ou duas vezes que entendem.

 

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.