Imagem: soluço
Foto: reprodução

O soluço é uma experiência que a maioria das pessoas certamente já teve, a situação pode ser engraçada ou um pouco constrangedora para alguns, e que dura pouco tempo. Porém, em alguns casos, o soluço que persiste por maior tempo pode ser um sinal de doença mais séria.

Como funciona o soluço?

O soluço começa numa região mais baixa do corpo, na musculatura responsável pela respiração, que são os músculos que ficam entre as costelas, chamados músculos intercostais, e o diafragma, músculo no formato de uma lâmina que fica entre os pulmões e o estômago.

Normalmente estes músculos se expandem e o diafragma desce em direção ao estômago para permitir que o ar entre durante a inspiração. Já na expiração essa musculatura relaxa para permitir que o ar saia pelo nariz e pela boca.

Leia também:  Chiclete piora gastrite? Descubra os mitos e verdades sobre a doença

Se algo irritar esses músculos, eles se contraem fortemente na forma de um espasmo, forçando o ar a sair de forma mais brusca e ao atingir as cordas vocais, elas se contraem gerando o som característico do soluço.

Porque a gente soluça?

O soluço é gerado toda vez que algum fator causar uma irritação no trajeto do nervo que vai desde o cérebro até o diafragma e músculos intercostais, por isso as causas são várias.

As razões mais comuns estão ligadas à alimentação, sendo elas:

1. Comer demais ou muito rapidamente numa refeição;

2. Distensão do estômago, seja por bebidas com gás como refrigerantes, ou por engolir muito ar como no hábito de mascar chiclete;

Leia também:  Rondonópolis é a 2ª cidade de MT que mais ocorre abandono nos locais de acidentes

3. Bebida alcoólica em excesso;

4. Doenças gastrointestinais como refluxo gastro-esofágico e gastrite.

Outras causas são doenças que afetem o trajeto do nervo na parte mais superior, como doenças neurológicas (AVC por exemplo), problemas na região cervical como laringite e doenças da tireóide, e na região do tórax como tabagismo, pneumonia e enfisema.

Fatores emocionais também podem ocasionar o soluço, como numa situação de tensão ou euforia. E algumas causas mais raras, a título de curiosidade, incluem: anestesia, disfunção dos rins e medicamentos (usados em anestesia e corticóides).

O que fazer quando o soluço não passa?

Na maioria das vezes, o soluço para após poucos minutos. Casos mais preocupantes, como doenças neurológicas e pulmonares, em geral se manifestam com soluço que persiste por vários dias e contínuo (além de terem outros sintomas associados, raramente apenas o soluço). Portanto fique atento e procure avaliação médica se o soluço for frequente e perdurar por mais de 2 a 3 dias.

Leia também:  Centro de Línguas da UFR oferece cursos gratuitos a população rondonopolitana

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.