O buscador de voos Viajala.com.br foi o primeiro do Brasil a colocar em seu portfólio de ofertas e comparação de preços a companhia aérea mato-grossense Asta, que conecta oito municípios do Estado em voos de passageiros. A partir de agora, o viajante do Mato Grosso pode encontrar e comparar na plataforma os preços de rotas específicas no interior do estado, além das rotas tradicionais de grandes empresas que levam de Cuiabá para outras capitais brasileiras.

O Viajala foi fundado em 2013, na Colômbia, e opera no Brasil há dois anos, onde atingiu, em janeiro deste ano, mais de um milhão de buscas de voos mensais. A empresa atua em oito países com equipes locais, nativas, e oferece o serviço gratuito de comparação de preços de passagens aéreas e hotéis em uma mesma página, facilitando assim a economia do usuário. É a primeira vez que um metabuscador lista empresas locais de nicho entre suas ofertas no Brasil.

“Queremos alcançar todas as regiões, estarmos conectados com todas as companhias aéreas locais, mesmo que sejam menores que as convencionais e cubram rotas mais específicas”, anuncia o executivo Eduardo Martins, diretor nacional do Viajala no Brasil. “Começar pelo Centro-Oeste, uma região menos atendida que outras, e mais especificamente com a Asta, que cobre cidades pequenas do Mato Grosso, é uma afirmação desse compromisso que temos com o interior do nosso país.”

A Asta opera desde 1995 como táxi aéreo e recebeu em 2009 a autorização da ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil) para o transporte de passageiros em quatro aeronaves que conectam oito municípios mato-grossenses: Cuiabá, São Félix do Araguaia, Vila Rica, Juina, Tangará da Serra, Canarana, Água Boa e Primavera do Leste. As cidades de Campo Novo, Sapezal e Aripuanã operam no modo de fretamento.

“O Brasil é um país imenso onde o regionalismo conta muito. Não basta termos todas as companhias aéreas de massa e ajudarmos somente quem viaja entre capitais”, comenta Martins. “O viajante do interior, que precisa visitar cidades menores como Tangará da Serra e Vila Rica, pode encurtar seu tempo de viagem voando, coisa que ele muitas vezes desconhece, já que voos de empresas menores não são listados entre as ofertas de outros buscadores e agências”, afirma o diretor do Viajala.

A distância terrestre de mais de quatro horas entre Tangará da Serra e Cuiabá, por exemplo, pode ser feita em alguns minutos de avião pelo preço cerca de R$300 o trecho pela Asta. Já a viagem entre São Félix do Araguaia e Água Boa, que por terra dura mais de oito horas, dura apenas 1h30 no avião. Também pela Asta, é possível cobrir os mais de mil quilômetros entre São Félix e a capital Cuiabá e diminuir o tempo da viagem em mais de 11h.

Segundo Martins, o Viajala já está em tratativa para incluir outras companhias aéreas de nicho de outras regiões. “Com a entrada de novas companhias no Brasil, a nossa malha aérea deve crescer e projetar um novo arranjo de cobertura de rotas”, projeta. “Queremos estar presentes em mais regiões, ajudar cada vez mais os usuários do interior brasileiro e estarmos prontos para essa nova abordagem.”

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.