Parecia tudo certo, mas a frustação veio logo em seguida. O deputado estadual Thiago Silva (MDB), está fora da CPI da Renúncia e Sonegação Fiscal requerida por iniciativa do deputado Wilson Santos (PSDB).

Apesar da informação que seria membro ativo da comissão, o deputado perdeu a vaga para Carlos Avalone (PSDB), após indicação do líder do Governo na Assembleia Dilmar Dal Bosco (DEM).

O deputado eleito com mais de 19 mil votos não gostou de ter sido excluído, e afirmou que iria ser rigoroso durante o processo de investigação.

A composição da CPI contará com Wilson Santos (PSDB) na presidência, Janaina Riva (MDB), Carlos Avalone (PSDB), Max Russi (PSB) e Nininho (PSD), conforme indicação de Dilmar.

A comissão quer investigar um volume de sonegação fiscal, que de acordo com Wilson, situa-se próximo de R$ 2 bilhões por ano em Mato Grosso. A CPI também vai verificar os R$ 3,4 bilhões renunciados pelo Estado no formato de incentivos fiscais e perdão de dívidas.

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.