Os corpos de mãe e filha foram encontrados em carro que caiu no rio em Pongaí - Foto: Arquivo Pessoal
Os corpos de mãe e filha foram encontrados em carro que caiu no rio em Pongaí – Foto: Arquivo Pessoal

A Polícia Civil identificou como mãe e filha duas mulheres que foram encontradas dentro do Rio Tietê após um acidente em que o carro caiu da ponte Porto Ferrão, entre Borborema e Pongaí (SP). A motorista Rosa Maria Gomes Belarmino, de 59 anos, e a filha Solianne Gomes Belarmino, de 32, estavam no banco da frente, presas às ferragens.

O corpo de uma terceira vítima, que estava no carro, foi achado preso a galhos dentro do rio e foi identificado como Aiumi da Silva de Oliveira, de 21 anos.

O acidente foi na Rodovia Doutor Mário Gentil (SP-333), na manhã de domingo (10). O carro foi encontrado a uma profundidade de 15 metros e foi tirado de dentro do rio com ajuda de um barco. O resgate durou sete horas. Os corpos foram encaminhados para o Instituto Médico Legal (IML) de Lins.

O acidente foi na Rodovia Doutor Mário Gentil (SP-333), na manhã de domingo (10). O carro foi encontrado a uma profundidade de 15 metros e foi tirado de dentro do rio com ajuda de um barco. O resgate durou sete horas. Os corpos foram encaminhados para o Instituto Médico Legal (IML) de Lins.

Carro foi retirado do rio com ajuda de um barco em Pongaí (SP) -Foto: J. Serafim/Arquivo Pessoal
Carro foi retirado do rio com ajuda de um barco em Pongaí (SP) -Foto: J. Serafim/Arquivo Pessoal

Acidente
De acordo com o Corpo de Bombeiros, a batida aconteceu no quilômetro 232 da rodovia e envolveu dois veículos.

O carro atingido na traseira rodou e parou na pista, enquanto o outro veículo caiu no rio. A proteção da ponte ficou aberta e foram colocados cones para sinalizar o local.

Segundo os bombeiros, a profundidade do rio chega a 25 metros no trecho onde aconteceu o acidente.

De acordo com o motorista do outro carro envolvido no acidente, ele reduziu a velocidade por conta de um trator que transportava uma colheitadeira. Neste momento, o outro veículo teria vindo em alta velocidade e batido na traseira.

O motorista do carro atingido estava com a esposa e seguiam para Pirajuí. “Tinha um trator na frente carregando uma colheitadeira a 20 quilômetros por hora na pista. A hora que eu olhei o carro atrás em velocidade alta, segurei no volante e só escutei a pancada. Ele me jogou para o lado esquerdo. Sorte que não vinha nenhum caminhão”, lembra o vigilante José Roberto Maiorchini.

A concessionária informou que o limite de velocidade na ponte é de 60 quilômetros por hora. Também informou que não há informação sobre circulação de colheitadeiras no trecho. A Entrevias diz que sempre é notificada para programar o deslocamento desse tipo de veículo.

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.