O número ainda é baixo, mas nos últimos quatro anos o número de mulheres eleitas em Mato Grosso subiu. Em 2014, das vagas disponíveis apenas uma foi ocupada por mulher, já em 2018, das 40 vagas disponíveis, cinco foram ocupadas por mulheres.

De acordo com o presidente do Tribunal Regional Eleitoral, desembargador Márcio Vidal, isso demonstra que as mulheres têm ganhado força na política, mas ainda está longe do ideal “ As mulheres, por sua natureza, têm o dom de administrar, cuidar e gerenciar com maestria várias atribuições ao mesmo tempo” afirmou.

O número de candidaturas também cresceu, em 2014, dos 382 candidatos de Mato Grosso, 111 eram mulheres e 271 homens. Já em 2018, foram 150 candidaturas femininas e 335 masculinas.

Por fim, o desembargador ressalta a força da participação feminina na democracia. “Dos quase 148 milhões de eleitores, mais de 77 milhões são mulheres, o que representa 52,5%. As mulheres têm o poder para aperfeiçoar e consolidar a democracia”.

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.