Imagem: Fávaro concede entrevista coletiva à imprensa para dizer que está pronto para disputar o Senado
Foto: Fávaro diz estar pronto, caso o TSE entenda pela cassação do mandato de Selma Arruda (PSL).

O chefe do Escritório de Representação de Mato Grosso em Brasília, Carlos Fávaro (PSD), concedeu entrevista coletiva à imprensa na tarde desta quinta-feira (11) para já se posicionar como pretenso candidato ao Senado ante a possibilidade de eleições suplementares. A realização de um novo pleito ainda carece de decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Contudo, o pessedista já vem se articulando nos bastidores e não assegurou se repetirá a chapa com os suplentes Geraldo Macedo (PSD) e José Lacerda (MDB).

Fávaro e o também candidato ao Senado, Sebastião Carlos (REDE), foram os proponentes da Ação de Investigação Judicial Eleitoral (AIJE) que culminou na cassação, por unanimidade, do mandato da senadora Selma Arruda (PSL), nesta quarta-feira (10), pelo Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE-MT). Ela é acusada de cometer abuso de poder econômico e ‘Caixa Dois’ e vai recorrer, no exercício do mandato, da decisão na Suprema Corte Eleitoral.

Enquanto isso, Fávaro disse que está agindo com cautela e que não dará nenhum passo antes do jogo começar. O ex-governador afirmou apenas que está se preparando para a eventual disputa, até porque ainda não terminou de sanar suas dívidas da campanha passada. “Precisarei me desincompatibilizar do Escritório de Representação do Estado no momento adequado e o PSD tem que realizar prévias partidárias. Estamos tomando todo o cuidado para não queimar etapas e evitar cometer o mesmo erro dela”, pontou.

Sobre a possibilidade de unir o setor do agronegócio em torno de um único nome para a senatoria, já que nas eleições passadas três candidatos se posicionavam ao lado do segmento – Nilson Leitão (PSDB), Adilton Sachetti (PRB) e o próprio Fávaro -, ele disse que ainda não tratou dessa estratégia com o setor, tampouco com os outros dois postulantes à época. “Não sei se podemos montar uma chapa de consenso. Só sei que se houver novas eleições, eu sou candidato”, pontuou.

Eleições Municipais

Fávaro garantiu que não disputará as eleições 2020 e que, como presidente do partido, está trabalhando na formação dos novos Diretórios Municipais. “Hoje temos 26 prefeitos, dos quais 16 deverão concorrer à reeleição. No interior temos grandes nomes como dos prefeitos da minha cidade, Lucas do Rio Verde, César Binotti, de Colíder, Noboru Tomiyoshi, e de Nova Guarita, Zeca”, elencou.

A Executiva Nacional do PSD emitiu uma Resolução para que o partido lance candidatos próprios para disputar prefeituras em cidades com mais de 100 mil habitantes. Tendo lançado 55 candidatos próprios em 2016, o partido projeta lançar até 70 no ano que vem. “Temos a segunda maior bancada do Senado, a terceira da Câmara dos Deputados, 26 prefeitos, 21 vice-prefeitos, quase 300 vereadores. Então vejo que temos condições de crescer ainda mais”.

Certo de que o partido lançará candidato próprio à Prefeitura de Cuiabá, Fávaro citou nomes como o do vice-prefeito, Niuan Ribeiro, Geraldo Macedo, Coronel Jorge Luís e do vereador Toninho de Souza, que deverá assumir o mandato de deputado estadual por até quatro meses, em decorrência do licenciamento do presidente da Assembleia Legislativa, Eduardo Botelho (DEM), que irá tratar de questões pessoais.

  

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.