Imagem: Senadora Selma se emociona
Foto: Selma se emociona ao desabafar.

Treze dias após um profundo silêncio motivado pela decisão do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE-MT) que cassou seu mandato, a senadora Selma Arruda (PSL) usou a tribuna na noite desta terça-feira (24) para desabafar. Em lágrimas e com a voz embargada, contou sua trajetória de vida até chegar ao cargo de juíza; função que lhe rendeu o apelido de “Moro de Saias”, face à postura contundente contra políticos importantes do Estado. O desabafo comoveu alguns senadores.

Selma foi cassada no último dia 10, por unanimidade, pelo Pleno do TRE-MT, acusada de ter cometido abuso de poder econômico e ‘caixa dois’. A decisão ainda cabe recurso no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O líder do PSL no Senado, Major Olímpio, se manifestou em consonância com a tese de retaliação política pelas condenações proferidas por Selma, enquanto exerceu a função de juíza nos mais de 22 anos, a políticos importantes.

“Eu quero dizer do meu orgulho como brasileiro, do meu orgulho por ser um representante do meu Estado aqui neste Senado, de ter a Senadora Selma Arruda como companheira de luta aqui nesta Casa, para nosso orgulho, uma representante digna do PSL. E eu quero dizer, Selma, que você sofre neste momento justamente por assumir a responsabilidade em toda a plenitude do seu esforço de chegar na magistratura e ser juíza, na acepção da palavra”, afirmou, o senador pelo estado de São Paulo.

O senador Eduardo Braga (MDB-AM), externou a apoio e solidariedade. “Eu quero aqui externar, em nome do nosso Partido, a nossa solidariedade à Senadora e dizer que o depoimento da Senadora na tribuna foi um desabafo, e S. Exª passou muita sinceridade, passou indignação e passou a todo o povo brasileiro a noção daquele que respeita as leis e daquele que respeita a justiça. Portanto, Juíza Selma, receba, em nosso nome e do nosso Partido, a nossa solidariedade”, disse.

Outros senadores demonstraram-se sensibilizados com o sofrimento de Selma, como os senadores Eduardo Girão (PODE-CE), Roberto Rocha (PSDB-MA), Lasier Martins (PODE-RS) e Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE). Selma foi eleita senadora em sua primeira disputa política com 678.542 votos. A defesa da senadora vai recorrer da decisão ao TSE. Segundo ela, os gastos computados como ilícitos não passam de despesas contratadas em período de pré-campanha.

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.