Imagem: NELSON BARBUDOPresidente regional da sigla de Jair Bolsonaro, o deputado federal Nelson Barbudo (PSL) prefere manter uma linha de independência quando o assunto é reforma da Previdência. Embora considere a relevância da matéria para o desempenho inicial da nova gestão federal, o parlamentar defende alterações no texto elaborado pela equipe do Ministério da Economia, comandado pelo ministro Paulo Guedes.

Barbudo defende a aprovação da matéria, mas considera que alguns pontos precisam ser revistos. “Vamos analisar nas próximas sessões os artigos. Sou representante da sociedade e acredito que tem vários pontos que poderão ser modificados, desde que não mexam no escopo principal. Se não aprovar, o Brasil quebra. E é por isso que a oposição grita, porque sabe que se ela passar, o Brasil volta a crescer”.

Em que pese ser representante do campo como proprietário rural, Barbudo considera que deve haver algumas diferenciações quanto a esse tipo de trabalhador. “Uma coisa é quem pega no cabo da enxada, outra é quem trabalha no escritório da fazenda. Por isso, acredito que precisamos buscar um denominador comum”, avalia.

Outro ponto é questionado por Barbudo é o BPC. “Se puxa de um lado, falto do outro. Se puxa do outro, falta de um. E todo mundo quer defender sua categoria. Mas penso que cada um terá que dar sua cota de sacrifício, para que o Brasil volte a crescer”.

Em relação a criação de um regime especial aos militares, Nelson defende o nivelamento de todas as categorias. Para ele, políticos, promotores, juízes, militares e profissionais de outras categorias devem se aposentar em pé de igualdade, exceto em casos de profissões insalubres, pessoas que têm risco de morte devido ao trabalho.

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.