Imagem: ossada em Cuiabá
Local onde a 1ª ossada foi encontrada – Foto: Pedro Couto / AGORA MATO GROSSO

O delegado Fausto Freitas, um dos titulares da Delegacia de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP) em Cuiabá explicou a reportagem do Agora Mato Grosso como os investigadores chegaram até a casa no bairro Nova Conquista ontem (13), onde foi feito o trabalho de busca de ossadas de duas mulheres consideradas desaparecidas, uma já foi encontrada.

O delegado contou que Talissa de Oliveira Ormond foi considerada desaparecida em julho de 2013, quando era namorada do suspeito Adilson Pinto da Fonseca. E a segunda vítima, Benildes Batista de Almeida, foi considerada desaparecida em dezembro de 2013.

“Desde então os casos eram investigados em inquéritos separados, até os investigadores descobrirem que as duas vítimas tinham contato com o suspeito, foi isso que chamou a atenção”, explicou o delegado.

As buscas são realizadas por determinação da Justiça, após requerimento da Polícia Civil. Benildes era ex-mulher de Adilson. Quando uniram os inquéritos os elementos começaram a se encontrar. Uma testemunha contou que viu na época uma briga entre Adilson e Talissa e que depois de alguns gritos houve silêncio e a testemunha não viu a vítima sair da casa.

Com estes dados em mãos os policiais pediram mandados de busca e apreensão e encontraram o primeiro corpo enterrado no quintal da casa. Adilson recebeu então voz de prisão.

“Ao encontrarmos o primeiro corpo ele confessou os crimes e apontou onde o segundo corpo está. Ainda estamos fazendo as buscas”, enfatizou Fausto Freitas.

Um exame de DNA deverá ser feito para confirmar se a ossada pertence a vítima, Talissa, a qual o suspeito confessa ter matado, porém, não deu detalhes do crime.

O primeiro foi encontrado a mais de um metro de profundidade.

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.