Imagem: João Arcanjo Ribeiro
João Arcanjo Ribeiro – Foto/Reprodução

João Arcanjo Ribeiro seguiu comandando esquemas de jogo no bicho assim que deixou a cadeia para cumprir pena em regime semiaberto. Está é a constatação do delegado responsável pela investigação Luiz Henrique Damasceno, que trabalha junto a Delegacia Fazendária, e pediu os mandados de prisão e apreensão expedidos pela sétima Vara Criminal de Cuiabá.

Segundo a investigação, enquanto esteve preso os negócios foram conduzidos pelo genro de Arcanjo, que também foi preso na operação desta quarta-feira. Ao receber a progressão de regime o comendador teria assunido a liderança do esquema e voltado a “atuar como antigamente”, nas palavras do delegado.

Um dos crimes investigados é o sequestro de um homem em Juara, que fica a cerca de 700 quilômetros de Cuiabá. A vítima estaria implantando na cidade um esquema de jogo do bicho concorrente ao de Arcanjo, quando foi raptado no hotel onde estava hospedado por dois homens.

” Ele foi levado para uma região de mata e só foi liberado após a entrega das máquinas do jogos, que serviu como um pagamento de resgate”, disse o delegado reforçando que um dos capangas foi identificado pela Polícia e ao ver a foto de Arcanjo apontou ele como um dos “líderes” do grupo que encomendou o rapto do concorrente.

Além de Arcanjo outras 32 pessoas foram presas nesta quarta-feira na operação contra o jogo do bicho em Mato Grosso.

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.