Imagem: Upa Pascoal Ramos dentro
Foto: Upa Pascoal Ramos, em Cuiabá.

O Sindicato dos Médicos do Estado de Mato Grosso (Sindimed-MT) realizou uma visita técnica na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Pascoal Ramos, na última quinta-feira (09). Durante a vistoria, a entidade comprovou as denúncias da falta de materiais e insumos. Além disso, encontrou todos os equipamentos de ar-condicionado da recepção estragados, ao passo que a unidade estava lotada.

O diretor de Comunicação do Sindimed-MT, Adeildo Lucena, se diz preocupado com a falta de insumos básicos, como seringas e equipos. O médico, para ele, precisa de condições mínimas para atender com dignidade os pacientes. “O médico tem que fazer milagre com o que tem em mãos. Conviver com racionamento de insumos e materiais significa viver no limite, entre a vida e a morte. E quando algo dá errado, a culpa geralmente recai sobre o profissional; não sobre o gestor”, considerou.

Lucena explica que encontrou um grande número de pacientes suando por atendimento enquanto aguardavam na sala de espera, visto que os aparelhos de ar-condicionado não funcionam. “Cobramos explicações da coordenação, que garantiu que o problema será solucionado em breve. Além disso, os responsáveis pela UPA Pascoal explicaram que o problema da falta de medicamentos e insumos é sistêmica, ou seja, o racionamento está acontecendo em toda a rede”.

De acordo com o coordenador da UPA Pascoal Ramos, a saúde de Cuiabá vive um momento difícil. A determinação da gestão Municipal é de que haja racionamento de medicamentos e insumos em todas as unidades. A solução para amenizar o momento tem sido a troca de materiais entre coordenadores. “Sendo assim, é preciso alertar para o risco iminente de voltar a faltar materiais na rede pública de saúde”, apontou Lucena.

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.