Ao explicar a convocação da seleção brasileira para a Copa América, o técnico Tite levou em conta também o histórico dos jogadores com a camisa da seleção brasileira. O caso do meia Philippe Coutinho, do Barcelona, que passa por dificuldades em se adaptar à equipe espanhola, foi um exemplo desta conduta.

“Qual o Coutinho (de que estamos falando), o do Barcelona ou o da seleção brasileira? Fora desses oito jogos pós-Copa, quando ficou abaixo do jogo bonito, criativo, lembro que o Coutinho foi decisivo no jogo contra a Argentina (Eliminatórias), no Mineirão, contra o Equador foi decisivo e contra o Paraguai ele foi decisivo, quando marcou o primeiro gol. Fez o primeiro gol da seleção na Copa. Esse Coutinho a gente quer.”

Em relação a Neymar, ele se recusou a falar se o jogador, que recentemente agrediu um torcedor após ser criticado, continuará sendo o capitão do time. Disse que irá conversar com ele primeiro.

“O Neymar errou, mas, por educação, como técnico e pessoa vou conversar primeiro com ele, por questão de princípio.”

O treinador explicou por que, no início da coletiva, afirmou ter sido esta a lista mais difícil que já fez, ressaltando que mal conseguiu dormir em função da montagem do elenco. Citou como motivo o bom desempenho dos novatos na seleção e em suas equipes.

“Novos atletas surgiram, aumentaram o leque e a concorrência, isso foi incentivado para elevar o nível…Foi duro decidir.”

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.