Pelo menos três faculdades particulares de Mato Grosso são suspeitas de participarem do esquema de fraude ao Enade, a prova que avalia as universidades brasileiras: a Fausb (Faculdades Integradas Desembargador Sávio Brandão) localizada em Várzea Grande, a Faculdade Cuiabá (Fauc) e Cândido Rondon, ambas em Cuiabá.

O assunto foi tema de reportagem no Fantástico desse domingo (16).

A maior parte dessa nota, 55% dela, sai de uma prova feita por estudantes veteranos que já tenham cumprido 80% do curso. Mas a direção dessas faculdades deu um jeito de garantir que só os bons alunos fizessem o Enade: apressou a formatura dos alunos mais fracos, que poderiam abaixar a nota média.

Um estudante de administração fez uma denúncia anônima na página do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Legislação e Documentos (Inep), responsável pelo Enade. Segundo a denúncia, a faculdade ameaçou reprovar alunos que se negassem a participar da fraude. A gravação indica também que as faculdades interromperam as aulas da graduação para dar curso preparatório para o Enade.

Um dos entrevistados pelo Fantástico, um professor que trabalhava em uma das faculdades em 2018, confirmou a fraude por determinação da diretoria. “A ordem que foi dada era a seguinte: para os alunos que são ruins se antecipa a formatura deles fazendo com que eles ganhem notas. Mesmo que não tivesse cumprido toda a carga do curso”, afirma o professor.

A reportagem do Fantástico falou com estudantes que confirmaram a fraude.

O presidente do Inep, Alexandre Lopes, disse que a autarquia federal já iniciou processo de verificação da denúncia e enviou questionários às instituições de ensino. “Já recebemos, estamos fazendo agora a apuração interna e assim que nós concluirmos enviaremos ao Ministério da Educação”, disse ele.

 

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.