O governador Mauro Mendes (DEM) disse durante uma entrevista que até o momento nada mudou no quadro fiscal de Mato Grosso (MT) e que o Estado continua sem poder atender aos pedidos feitos pelos profissionais da educação que estão com as atividades paralisadas deste o último dia 27.

“Desde que os profissionais da Educação iniciaram um movimento grevista no Estado, não houve qualquer mudança no quadro fiscal de MT que permitisse atender aos pedidos feitos pelos profissionais. A lei é que não me dá alternativa”, relata Mauro em alusão à Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), que estabelece o limite máximo de gastos com folha salarial em 49%.

Os profissionais da Educação exigem o pagamento da Revisão Geral Anual (RGA) e o cumprimento da lei da dobra salarial (aprovada em 2013), que dá direito a 7,69% a mais na remuneração, anualmente, durante 10 anos.

O governador ainda disse esperar que a categoria retome as atividades.

 

 

 

 

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.