A informação que o ex-governador Pedro Taques sabia do esquema de escutas ilegais foi repassada nesta segunda-feira (15), pelo coronel Zaqueu Barbosa, ex-comandante da Polícia Militar em Mato Grosso. Zaqueu chegou a ser preso e foi solto em outubro de 2018.

Durante depoimento Zaqueu Barbosa afirmou que além do o ex-secretário-chefe da Casa Civil Paulo Taques também sabia dos grampos ilegais conhecidos como “Grampolândia Pantaneira”.

No documento, Zaqueu relatou ainda que os ex-gestores não apenas sabiam do esquema como ajudaram a montá-lo. Ele afirmou que os grampos começaram ainda na época da campanha, com o objetivo de obter informações sobre os adversários.

Já no governo, eles mantiveram as escutas para receber informações sobre as pessoas grampeadas e assim, montar estratégias de defesa.

A Justiça Militar fará, a partir desta terça-feira (16), novo interrogatório de todos os envolvidos no esquema de grampos telefônicos ilegais.

Zaqueu chegou a ser preso e foi solto em outubro de 2018.

Grampos clandestinos

Os telefones foram interceptados com autorização judicial. Os documentos pedindo à Justiça autorização para isso foram assinados pelo cabo da PM, Gerson Luiz Ferreira Correia Júnior, numa suposta investigação de crimes cometidos por PMs.

O caso foi denunciado pelo promotor de Justiça Mauro Zaque.

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.