Imagem: Câmara de Cuiabá
Foto: assessoria

O nome “Portão do Inferno” está com os dias contados. No que depender dos esforços das Câmaras Municipais de Cuiabá e de Chapada dos Guimarães o ponto turístico passará a ter outra denominação em breve.

Na manhã desta terça-feira (30), vereadores das duas cidades estiveram reunidos na sala da presidência do Legislativo Cuiabano visando promover ações para consolidar o nome do lugar como “Portal do Paraíso”, conforme estabelece a Lei chapadense nº839/98, de autoria do vereador Manequinho (in memorian), sancionada em 1998 pelo então prefeito Sebastião Treme Terra.

Reconhecido como um dos pontos turísticos mais visitados do estado, o Portal está situado próximo à linha divisória dos dois municípios, na região da cachoeira Salgadeira que ainda pertence à Capital.

O presidente do Parlamento de Cuiabá, vereador Misael Galvão (PSB), teve a iniciativa de chamar os legisladores de Chapada, porque é constantemente cobrado por populares que se sentem incomodados com o nome Portão do Inferno.

“Esta mobilização é o resultado de ouvir a população, que está dentro da visão que temos de fazer política como missão e vocação”, explicou.

Misael justificou que além dos “clamores populares” está atento também ao grande número de suicídios que aconteceram no lugar, que em realidade é um acidente geográfico conhecido como despenhadeiro, abismo ou precipício.

O Vereador Carlinhos (PT), presidente da Câmara de Chapada, explicou que o nome teria surgido com os bandeirantes que identificam como inferno o que se localizava para baixo, enquanto aquilo que estivesse para cima, relacionavam com o céu.

“Tanto que um pouco adiante do tal portão existe uma formação rochosa a qual deram o nome de Dedo de Deus, pois aponta para cima”, contou.

Formada por cinco vereadores, além do presidente Carlinhos (PT), Thomas Jeferson (PSDB), Mariano Fidélis (PSC), Rosa Lisboa (PL) e Benedito de Freitas Bozó (MDB).

A comitiva apoiou em unanimidade a proposta do presidente Misael, pois acreditam que além de bons fluídos, a mudança vai atrair mais turistas. Fidélis se colocou como um representante do segmento evangélico. “Para o cristão é mais confortável mostrar o Portal do Paraíso ao contrário do Portão do Inferno”.

Conscientes de que a mudança pode levar muitos anos para ocorrer, os vereadores salientaram que precisam trabalhar em ações para massificar o nome Portal do Paraíso.

A partir disso ficou definida a realização de uma Sessão Solene em Chapada para promover um grande debate com os demais segmentos interessados, tais como entidades religiosas e culturais, bem como da área educacional e de pesquisa, além de empresas ligadas ao turismo e população das duas cidades. O objetivo é de coletar sugestões e definir outras ações para levar adiante o projeto.

Misael salientou que são “cidades irmãs” com interesses que se somam e por isso é necessário a participação dos poderes constituídos dos dois municípios, casas legislativas e prefeituras, mas também “de autoridades do governo estadual e deputados”, pois na avaliação dos vereadores a importância da região atinge todas as esferas de poder dentro do estado.

Os vereadores por Cuiabá Marcos Veloso e Mário Nadaf (PV), Ricardo Saad (PSDB), Adilson Levante (PSB) e Orivaldo da Farmácia (PP) participaram da reunião e confirmaram total apoio ao projeto. Orivaldo fez questão de parabenizar Misael pela iniciativa.  “A ação fortalece o legislativo, tendo em vista que o nome Portal do Paraíso já é oficial”.

VALORIZAÇÃO — Outra medida relacionada à valorização daquele espaço foi o projeto de lei apresentado pelo vereador Mário Nadaf que institui o dia 12 de abril como o Dia do Parque Nacional de Chapada dos Guimarães, onde está localizado o Portal do Paraíso.

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.