Os alunos da rede estadual que ficaram sem aula por 75 dias devem retornar às salas de aula nesta quarta-feira (14), em Rondonópolis e em todo Estado de Mato Grosso (MT). Os profissionais da Educação de MT decidiram acabar com a greve durante uma Assembleia Geral, que aconteceu em Cuiabá (MT), na sexta-feira (9). A paralisação é considerada a maior greve na Educação Estadual. Parte das escolas paralisadas já retomaram as aulas na segunda-feira (12.08).

Durante a Assembleia, os sindicalistas concordaram que esse é o momento de recuar, ‘dar um passo pra trás’, porém de seguir dialogando e cobrando do governo as promessas feitas, dentre elas o chamamento dos concursados, cronograma para reforma de unidades escolares, pagamento do ponto cortado dos grevistas, dentre outros pontos que foram acordados.

Sobre o calendário de reposição, os profissionais da educação, como em outras greves, garantirão os 200 dias de letivos e as 800 horas, que é um direito dos estudantes. Os profissionais aguardam a definição do calendário letivo da Secretaria de Estado de Educação (Seduc) e, a partir dele cumprirão a jornada semanal de 30 horas, o que significa que a orientação é não repor aulas aos sábados.

A Seduc informou que encaminhará, esta semana, às escolas estaduais que estavam paralisadas, documento orientativo e uma minuta com sugestão de calendário para a reposição das aulas. A Secretaria ainda informou que ao todo, foram 75 dias de paralisação, porém serão repostos 42 dias letivos.

A assessora pedagógica Ester Landvoigt disse que a elaboração do calendário de reposição ocorrerá pelas próprias escolas, juntamente com os Conselhos Deliberativos da Comunidade Escolar (CDCE), que passarão a minuta desse calendário às assessorias pedagógicas para validação e homologação da Secretaria de Estado de Educação.

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.