Imagem: Incêncdio no perimetro urbano
Incêndio no perímetro urbano – Foto: Varlei Cordova /AGORA MATO GROSSO

Faz menos de um mês que o período proibitivo de queimadas para limpeza e manejo de áreas rurais começou e a sensação de fumaça no ar já são notáveis. Em Rondonópolis, o caos na queimada também toma conta da área urbana com focos em terrenos baldios.

De acordo com o Tenente Fraga do Corpo de Bombeiros, com a última chuva o número de ocorrências se manteve constante, no entanto, ele acredita que neste final de mês e início de setembro haverá um aumento no número de ocorrências.

Ele contou também que no domingo (11), houve um foco de incêndio na aldeia Tadarimana e que foi montada, de última hora, uma equipe com aproximadamente 12 militares para o atendimento, porém quando a equipe chegou o incêndio já havia sido apagado pelos indígenas.

Segundo os dados de satélites, sistematizados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), o número de focos de calor aumentou 41,57% em Mato Grosso em 2019, se comparado ao mesmo período do ano anterior.

O Corpo de Bombeiros de Mato Grosso atendeu a 660 incêndios em vegetação (terrenos urbanos e incêndios florestais) somente no mês de julho.

Mato Grosso não está sozinho nesse crescimento. Na Amazônia Legal houve um acréscimo de 41,77%, no mesmo período (0,2% a mais que MT). O Brasil também apresenta uma elevação na quantidade de focos de calor, chegando a e 27,91% de crescimento em relação a 2018.

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.