Imagem: Prefeito Emanuel Pinheiro
Prefeito de Cuiabá cobra governador repasses atrasados da Saúde – Foto: Welington Sabino/ AGORA MATO GROSSO

Em cerimônia de entrega da 5ª etapa da Hospital Municipal de Cuiabá na manhã desta sexta-feira (30), o prefeito da Capital, Emanuel Pinheiro (MDB) voltou a fazer cobranças ao governador Mauro Mendes (DEM) para que repasse ao Município a quantia de R$ 142 milhões, valores que são destinados à Secretaria Municipal de Saúde e estão atrasados. Os repasses são resquícios de compromissos não cumpridos da gestão Pedro Taques (PSDB).

“Eu preciso desses R$ 60 milhões que o Estado deve. Na verdade são R$ 142 milhões, R$ 60 milhões que Cuiabá tem direito mesmo”, disse Emanuel Pinheiro explicando que os outros R$ 82 milhões são recursos da emenda parlamentar coletiva destinada pela bancada federal de Mato Grosso para comprar os equipamentos do Novo Pronto-Socorro.

Na época, a unidade de saúde ainda não estava pronta e o então governador Pedro Taques utilizou o dinheiro para quitar outras dívidas da saúde, em especial repasses que estavam atrasados aos hospitais regionais e fornecedores.

Emanuel Pinheiro pondera que a dívida não foi contraída por Mauro Mendes, agora na condição de governador cabe a ele honrar o compromisso feito por seu antecessor. Enquanto isso, Pinheiro pondera que tem utilizado recursos da Fonte 100 do Município para o custeio de ações na área da Saúde por entender a situação financeira complicada do Estado que Mendes herdou de Taques.

Apesar disso, o prefeito da Capital deixa claro que compete ao governador quitar a dívida e espera que com a vinda de uma parcela atrasada do FEX (Auxílio Financeiro de Fomento às Exportações), anunciada pelo ministro da Economia Paulo Guedes ao governador nesta quinta-feira (29), Mendes pague a dívida que o Estado tem com o Município.

“Eu não vou abrir mão de nenhum centavo desse recurso porque esse recurso pertence a Cuiabá e a população cuiabana”, enfatizou Emanuel.

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.