Dois homens foram presos na terça-feira (24), na região metropolitana de Cuiabá, por envolvimento no furto qualificado a uma agência do Banco do Brasil de Pontes e Lacerda, ocorrido em julho deste ano.

A ação foi deflagrada pela Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO) para cumprimento de mandados de busca e apreensão e prisão preventiva, expedidos em desfavor dos investigados.

Everton Rodrigues de Melo, 33, conhecido como “Mosca”, e Robson Antonio da Silva Passos, 31, conhecido como “Robsinho”, tiveram ordens de prisão preventivas decretadas pelo juízo da 1ª Vara Criminal da Comarca de Pontes e Lacerda. Ambos são apontados nas investigações conduzidas pela GCCO, como participantes do crime cometido na madrugada do dia 31 de julho deste ano.

Os investigadores conseguiram localizar Everton em uma residência no bairro Jardim Fortaleza, em Cuiabá. Já Robson foi preso no bairro Costa Verde, em Várzea Grande.

Durante as buscas nos endereços alvos, as equipes da GCCO encontraram diversos materiais utilizados para praticar os crimes, conhecidos pelas modalidades de “cavidade” ou “tatu” (quando os criminosos conseguem acessar o prédio fazendo um buraco na parede e assim, desativam os sistemas de segurança e alcançam cofres, caixas eletrônicos, ou seja, acessam o banco).

Com os suspeitos foram apreendidos um rádio comunicador sintonizado na frequência do Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp).

Conforme a delegada Juliana Palhares, que conduz o inquérito, em depoimento o preso Everton Rodrigues que era monitorado por tornozeleira eletrônica, confessou que rompeu o equipamento e jogou fora. “Tudo indica que o rompimento da tornozeleira aconteceu pelo menos há mais de 2 meses”, informou a delegada da GCCO.

As investigações continuam para identificar outros comparsas. A equipe da gerência fará análise dos materiais apreendidos, checagens das informações repassadas pelos presos, entre outras diligências.

Após os depoimentos, Everton e Robson foram encaminhados à audiência de custódia, ficando à disposição da Justiça.

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.