Imagem: depressao pos parto 24092019165056555
À esquerda, Alexis D’Achille segura a pequena Adriana nos braços – Foto:
reprodução

O norte-americano Steven D’Achile tem apenas um arrependimento: ter dado ouvidos aos médicos que disseram que sua esposa ficaria bem. “Era o começo do fim”, disse ele ao Today Parents. Após inúmeras crises psicóticas em decorrência de uma severa e rara forma de depressão pós-parto, esposa, chamada Alexis, tirou a própria vida, deixando Steven e a filhinha Adriana, com apenas seis semanas de vida.

Consciente de que ele e a filha não eram os únicos que perderam um importante pilar da família para a depressão pós-parto, Steven decidiu fundar uma organização sem fins lucrativos destinada a lidar com o problema e ajudar outras mulheres na mesma situação. “Eu quero resolver o problema”, disse ele. “Minha filha não é a única criança sem mãe e eu não sou o único marido sem esposa”.

Hoje, o Centro Alexis Joy D’Achille de Saúde Mental Perinatal adota um programa terapêutico diferente para tratar a depressão pós-parto, com sessões terapêuticas entre mamãe e bebê, ioga e espaço para amamentar.

Após sobreviver à tragédia, Steven hoje se dedica à clínica e à criação de Adriana, hoje com seis anos. Mesmo assim, ele permanece com a lembrança da esposa da melhor maneira que encontrou.

“Ela ficaria muito orgulhosa”, disse ele. “Penso na vida dessas crianças, uma vida normal, por causa dos serviços que oferecemos”.

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.